Desemprego nos EUA sobe e atinge a maior taxa desde abril

Fed/Getty Images
Image caption O Fed anunciou a injeção de US$ 600 bi na economia americana

O desemprego nos Estados Unidos subiu para 9,8% em novembro, a maior taxa desde abril, disse nesta sexta-feira o departamento de Trabalho americano.

A cifra significa que chega a 15,1 milhões o número de pessoas desempregadas no país.

Nos três meses anteriores a taxa registrada foi de 9,6%.

Apenas 39 mil empregos foram criados em novembro, abaixo da expectativa de analistas. Em outubro, foram criadas 172 mil vagas.

Foram criados empregos no setor de serviços empresariais, saúde e mineração, mas o número de vagas no varejo e na industria caiu.

Analistas

O anúncio gerou quedas em bolsas de valores de todo o mundo e analistas dizem que o alto número de desempregados pode comprometer a economia americana.

"Obviamente é uma surpresa decepcionante, esperávamos um resultado muito melhor", disse Bernard Baumohl do Economic Outlook Group.

No entanto, ele disse que este número deve ser revisado "substancialmente" para cima no próximo mês.

Outros se dizem mais pessimistas.

Paul Dales da Capital Economics disse que os números representam um golpe para os que acreditavam que a economia estava se recuperando.

"A verdade é que a economia não vai a lugar nenhum quando as empresas não contratam mais funcionários", disse ele.

A economia americana cresceu a uma taxa anualizada de 2,5% entre julho e setembro.

No início do mês passado o Fed, ou Banco Central americano, anunciou um pacote de estímulo com a injeção de US$ 600 bilhões na economia.

A alta taxa de desemprego e um fraco mercado imobiliário estariam prejudicando a recuperação da economia, segundo analistas.

Notícias relacionadas