Wikileaks divulga lista de locais ‘vitais’ para segurança nacional dos EUA

Wikileaks
Image caption Wikileaks vem divulgando mais de 250 mil documentos secretos

Uma longa lista de locais descritos pelos Estados Unidos como vitais para a segurança nacional foi divulgada como parte dos documentos americanos secretos que vêm sendo publicados pelo site Wikileaks.

O Departamento de Estado americano pediu em 2009 a todas as missões diplomáticas do país no exterior informações sobre uma lista de instalações cuja perda poderia afetar criticamente a segurança nacional dos Estados Unidos.

A lista inclui oleodutos, centros de comunicação e de transporte, minas e fábricas de produtos médicos.

O documento é considerado possivelmente o mais polêmico divulgado até agora pelo Wikileaks, que vem divulgando desde o domingo passado um pacote de mais de 250 mil comunicações diplomáticas secretas dos Estados Unidos.

A definição de segurança nacional americana revelada pelo comunicado do Departamento de Estado é ampla e abrangente.

Além dos locais mais óbvios de infraestrutura estratégica, o documento contém ainda locais diversos como uma mina de cobalto no Congo, uma fábrica de soro antiofídico na Austrália e uma fábrica de insulina na Dinamarca.

No Brasil, o documento enviado pelo Departamento de Estado lista cabos de comunicação submarinos com conexões em Fortaleza e no Rio de Janeiro e minas de minério de ferro, manganês e nióbio em Minas Gerais e em Goiás.

O comunicado pede às missões americanas informações sobre todas as instalações cuja perda poderia ter um impacto crítico sobre a saúde pública, a segurança econômica ou a segurança nacional dos Estados Unidos.

Alvos potenciais

A lista no documento divulgado pelo Wikileaks é considerada como uma relação de alvos potenciais para ataques contra interesses americanos no exterior.

O diário britânico The Times publicou a notícia sob o título “Wikileaks lista ‘alvos para o terror’ contra os Estados Unidos”.

Alguns locais recebem uma qualificação especial na lista, como o entroncamento de oleodutos de Nadym, no oeste da Sibéria, descrito como “a instalação de gás mais importante do mundo”.

O local é um importante ponto de trânsito do gás russo exportado para a Europa Ocidental.

Em alguns casos, indústrias farmacêuticas específicas ou fábricas de produtos sanguíneos são especificadas por sua importância crucial para a cadeia global de suprimento.

Para muitos críticos, o documento gera o questionamento sobre quais os benefícios dos vazamentos do Wikileaks.

“Esta é mais uma evidência de que eles têm sido geralmente irresponsáveis, à beira da criminalidade”, afirmou o ex-ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha Malcolm Rifkind.

“Este é o tipo de informação que os terroristas têm interesse em conhecer”, disse.

Notícias relacionadas