Repressão a imigrantes na UE ameaça pedidos de asilo, diz ONU

Maior controle marítimo faz com que imigrantes recorram a meios ainda mais arriscados para entrar na Europa
Image caption Maior controle no mar impulsionou tentativas de entrada por terra

A agência de refugiados da ONU exortou a União Europeia a garantir que pedidos de asilo ao continente não sejam prejudicados pelo aumento no controle nas fronteiras do bloco.

“Nossa preocupação é que, em seus esforços para impedir a migração ilegal, a Europa se esqueça de que entre os que tentam entrar na UE estão pessoas que precisam de proteção internacional e correm riscos (em seus próprios países)”, disse o porta-voz da UNHCR em Geneva, Andrej Mahecic, segundo informe do órgão.

A UNHCR diz que o bloqueio indiscriminado de chegadas força os que buscam asilo a se arriscar ainda mais para entrar no continente.

Segundo Mahecic, a prova do quão difícil se tornou pedir asilo na Europa pode ser vista nos dados de chegadas por mar na costa de Itália, Grécia, Malta e Chipre.

A UNHCR estima que 8,8 mil pessoas entraram na região por mar nos dez primeiros meses de 2010, número 72,5% menor do que o registrado no mesmo período de 2009 (32 mil). Dois terços das chegadas ocorreram na Grécia.

Entradas por terra

Como resultado, diz o porta-voz, tem havido um aumento no número de entradas por terra na região grega de Evros, próxima à fronteira com a Turquia.

A região registrou 38.992 chegadas nos primeiros dez meses do ano, ante 7.574 no mesmo período de 2009, um aumento de 415%.

“O bloqueio às chegadas por mar não está solucionando o problema, mas movendo-o para outro lugar”, disse Mahecic.

A UNHCR disse que a UE deve ajudar a Grécia a melhorar o seu sistema de requisição de asilos. Atualmente, segundo o órgão, quem pede asilo à Grécia tem poucas chances de ter o processo devidamente analisado.

A agência afirma ainda que os imigrantes detidos na Grécia enfrentam condições difíceis e que há, entre eles, crianças desacompanhadas. A maioria não tem acesso a ajuda legal nem a intérpretes, segundo a UNHCR.

Notícias relacionadas