Ataques matam 13 pessoas no Iraque

Image caption Mais de 20 pessoas foram feridas na explosão do carro-bomba

Dois ataques suicidas em distintas partes do Iraque mataram ao menos 13 pessoas neste domingo.

Na cidade de Ramadi (oeste), um extremista detonou os explosivos de um carro-bomba nas proximidades dos escritórios do governo local, às 10h (cerca de 5h de Brasília). Acredita-se que ao menos 11 pessoas tenham morrido e 20 tenham se ferido.

Não está claro se ocorreu uma segunda explosão enquanto os feridos da primeira eram socorridos.

A autoria do ataque não foi assumida imediatamente por nenhum grupo. No entanto, a polícia da região prendeu recentemente suspeitos que afirmavam ser integrantes da rede Al-Qaeda.

O correspondente da BBC em Bagdá Gabriel Gatehouse disse que o ataque pode ser interpretado como reposta a essas prisões.

Em Bagdá, explosão causada por um homem-bomba resultou na morte de dois peregrinos xiitas - acredita-se que pai e filho.

Política

Os ataques ocorrem em uma época em que o premiê iraquiano, Nuri al Maliki, tenta formar um governo após um longo período de incerteza política.

O processo é parte do acordo de divisão de poder para terminar com os oito meses de impasse político após as eleições de março.

No mês passado, um acordo determinou que Maliki poderia permanecer no cargo e deveria formar um novo governo dentro de duas semanas.

A província de Anbar, de maioria sunita, era o maior reduto da Al-Qaeda iraquiana durante os primeiros anos da invasão comandada pelos Estados Unidos.

Notícias relacionadas