Para conter alta do real, BC adota compulsório no mercado de câmbio

Em mais uma tentativa de conter a queda do dólar, o Banco Central (BC) anunciou nesta quinta-feira que adotará o depósito compulsório no mercado de câmbio.

O órgão determinou que as instituições que operam com posições de câmbio vendidas (ou seja, que apostam na valorização do real) deverão recolher 60% sobre o valor que exceder US$ 3 bilhões ou o patrimônio de referência (PR).

O depósito compulsório será recolhido em espécie e não será remunerado. As instituições terão 90 dias para se adequar à nova regra.

A nota do BC informa que a medida tem "caráter prudencial", visando melhorar o funcionamento do mercado de câmbio à vista e contribuir para "manter a estabilidade do Sistema Financeiro Nacional".

Segundo o BC, as posições vendidas do sistema alcançaram US$ 16,8 bilhões em dezembro de 2010.

A valorização excessiva da moeda brasileira é uma das preocupações do governo de Dilma Rousseff. Na última terça-feira, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que não permitirá que o dólar "derreta".

Em 2010, o dólar acumulou uma queda de 4,42% em relação ao real.