Centenas acompanham enterro de ex-miss morta durante lua-de-mel

Image caption Morte de Michaela McAreavey chocou a Irlanda do Norte

Centenas de pessoas acompanharam nesta segunda-feira o funeral de uma ex-miss da Irlanda do Norte assassinada durante a lua-de-mel nas Ilhas Maurício, há uma semana.

Michaela McAreavey foi encontrada estrangulada no quarto de seu hotel na paradisíaca ilha do Oceano Índico, onde celebrava sua lua-de-mel. Ela tinha 27 anos.

A morte chocou a Irlanda do Norte. A professora e ex-miss era filha do técnico de futebol gaélico Mickey Harte, uma das figuras mais conhecidas do mundo esportivo local.

Nesta segunda-feira, centenas de pessoas recepcionaram o corpo de McAreavey quando o caixão chegou à igreja de St Malachy's, no vilarejo de Ballymacilroy, onde Michaela se casara com o agora viúvo John McAreavey no dia 30 de dezembro.

Estavam presentes personalidades e figuras políticas, como a presidente da República da Irlanda, Mary McAleese.

Uma marquise para 300 pessoas teve de ser montada para aumentar a capacidade da igreja, que normalmente abriga 400 fiéis.

A repórter da BBC na Irlanda do Norte, Louise Cullen, disse que foram necessários 10 minutos só para acomodar a multidão que entrou na igreja após o caixão.

Durante o cortejo, o silêncio foi total e era possível escutar os pássaros e a água que descia de uma fonte, relatou a repórter.

Crime

Image caption John e Michaela McAreavey se casaram no dia 30 de dezembro

Dois funcionários do hote Legendsl - Avinash Treebohoowoon, de 29 anos, e Sandip Moneea, 41 - foram indiciados pelo crime. Outro funcionário, Raj Theekoy, 33, foi acusado de cumplicidade.

Segundo a polícia das Ilhas Maurício, o crime ocorreu quando Michaela surpreendeu os dois funcionários tentando roubar seu quarto.

A ex-miss e o marido tomavam chá na piscina do hotel quando ela decidiu voltar para o quarto para buscar biscoitos.

Passados 20 ou 30 minutos de sua ausência, o marido decidiu procurar a esposa. Encontrou-a morta na banheira do quarto.

Segundo os policiais, os autores do crime usaram um cartão magnético para entrar no quarto minutos antes de Michaela. Nada teria sido roubado.

Notícias relacionadas