Brasil gera 2,5 milhões de empregos formais em 2010 e bate recorde

O mercado de trabalho formal no país bateu recorde no ano passado, com a geração de 2,5 milhões de vagas, segundo os dados do Caged, do Ministério do Trabalho.

O resultado, que reflete a diferença entre as vagas criadas e as encerradas no período, é o melhor desde 1992, início da série histórica.

Até então o recorde estava com o ano de 2007, quando foram criados 1,6 milhões de empregos com carteira assinada no país.

Segundo o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, o ano de 2010 foi marcado pela fase “pós-crise econômica”, com a geração de diversos postos que haviam sido encerrados em 2009, fortemente afetado pela turbulência.

“Essa comparação favorece 2010. A crise freou um pouco esse crescimento e o pós-crise ajudou a recuperar o que tinha sido perdido, voltando ao ritmo normal de antes”, disse Lupi.

A marca de 2,5 milhões de empregos criados, no entanto, foi obtida com uma mudança na contabilidade. Isso porque o Ministério do Trabalho decidiu antecipar os empregos declarados fora do prazo – atualização que, em geral, é feita apenas seis meses depois.

Sem esses dados, o número de vagas criadas no ano passado teria ficado em 2,13 milhões.

“Estou antecipando a divulgação deles. Não tem maquiagem dos dados. Não há manipulação”, disse o ministro.