Dilma agradece carta de deputada iraniana, mas não cita Sakineh

O Palácio do Planalto divulgou, nesta terça-feira, uma nota em nome da presidente Dilma Rousseff agradecendo a carta recebida pela deputada iraniana Zoreh Elaihan, presidente do Comitê de Direitos Humanos da Assembleia Consultiva do país persa.

A carta ganhou destaque após a informação, divulgada no fim de semana por uma agência estatal iraniana, de que seu conteúdo confirmava a suspensão do apedrejamento como pena imposta à iraniana Sakineh Ashtiani, acusada da morte do marido.

De acordo com a agência, a penalidade teria sido comutada para dez anos de prisão, após a iraniana ter recebido o perdão dos familiares da vítima.

A informação sobre a suposta suspensão da pena, no entanto, foi negada pelo Poder Judiciário iraniano, nesta segunda-feira.

Ao comentar a carta, o Palácio do Planalto não menciona o caso de Sakineh. A nota divulgada nesta terça-feira apenas se refere ao caso de forma indireta, ao reiterar a “disposição” do governo brasileiro na defesa dos direitos humanos.

“A presidenta Dilma Rousseff reitera a disposição de continuar conferindo à questão dos direitos humanos um lugar central em nossa política externa, sem seletividade e tratamento discriminatório”, diz o comunicado.