Britânica que causou morte de filhos em incêndio queria 'fazer cena', diz promotor

Casa de Fiona Adams, logo depois do incêndio (PA) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Dois filhos de Fiona Adams morreram no incêndio em abril de 2010

Uma britânica da cidade de Derbyshire, acusada de matar dois de seus filhos em um incêndio, teria iniciado o fogo em sua casa pois queria fazer "cena" para chamar atenção do parceiro, segundo o promotor do caso.

Fiona Adams, de 23 anos, escapou do incêndio ocorrido em 2010, mas dois de seus filhos - Niamh, de cinco anos e Cayden, de dois - morreram. O outro filho de Fiona, Kiernan, que tinha oito meses na época do incêndio, sofreu ferimentos graves.

Adams pulou da janela de sua casa em chamas pouco antes da meia-noite do dia 23 de abril de 2010. O promotor Timothy Spencer afirmou que ela tentava chamar a atenção de James Maynard, pai de seus filhos, e que ela vivia uma "situação infeliz" no ano passado.

"Havia muitas maneiras pelas quais ela poderia ter enfrentado a situação. A que ela escolheu foi fazer uma cena com ela e os filhos e isso culminou com ela incendiando a própria casa", disse o promotor.

Ela nega as acusações de homicídio pela morte de seus filhos, de incêndio criminoso e de causar lesão corporal grave ao seu filho, Kiernan.

Facebook

Na noite do incêndio, Adams teria ficado irritada com o fato de Maynard ter decidido trabalhar mais horas no hotel onde era empregado, não voltando para casa na hora em que era esperado.

Segundo o promotor, a britânica teria criado situações para corroborar sua história.

Naquela noite, Adams começou reclamando em sua página no Facebook da presença de um estranho em seu jardim e também ligou para a polícia em um telefone que não era usado para emergências, mas a linha estava com problemas.

Imagens de câmeras de vigilância foram exibidas durante o julgamento nesta segunda-feira e, nestas imagens é possível ouvir um barulho metálico e a voz de uma mulher gritando "olá".

Quando uma amiga ligou para saber se ela estava bem, Adams apenas disse que alguém tinha tropeçado em uma churrasqueira no jardim, atirando alguns vasos de planta.

O promotor afirmou que "a pessoa que fez o barulho era ela (Fiona Adams) e o objetivo era dar a ideia de que ela estava sendo atacada por um vândalo, ou vândalos, para chamar atenção".

O julgamento deve durar de três a quatro semanas.

Notícias relacionadas