Crise no Egito faz barril do petróleo passar de US$ 100

Direito de imagem Getty
Image caption OPEP afirmou que transporte no Canal Suez não será interrompido

A crise política no Egito fez o preço do barril do petróleo passar os US$ 100 pela primeira vez desde outubro de 2008.

Apesar de produzir pouco petróleo, o Egito controla o Canal de Suez, uma rota crucial para os petroleiros que saem do Golfo Pérsico em direção à Europa.

O barril do petróleo Brent aumentou US$ 1,66 e chegou a ser negociado a US$ 101,08 durante a tarde desta segunda-feira, recuando para US$ 100,78.

O aumento foi justificado por temores de que os protestos contra o regime de Hosni Mubarak no Egito poderiam provocar o fechando do Canal de Suez e, assim, prejudicar o fornecimento de petróleo.

OPEP

Os analistas também se preocupam com as possibilidades de os protestos se espalharem para países que são grandes produtores de petróleo no mundo árabe.

Os preços caíram, temporariamente, quando a OPEP (Organização de Países Exportadores de Petróleo) afirmou que o fluxo de petroleiros em Suez não seria afetado.

A bolsa de valores do Egito permaneceu fechada nesta segunda-feira, sétimo dia de protestos.

O preço do barril de petróleo vem crescendo desde agosto do ano passado, quando chegou a ser cotado em US$ 70, acompanhando a recuperação econômica.

Notícias relacionadas