Crise no mundo árabe provoca adiamento de cúpula no Peru

Protesto no Egito Direito de imagem Getty
Image caption Segundo a chancelaria peruana, adiamento foi pedido pela Liga Árabe

O Ministério das Relações Exteriores do Peru, país que sediaria a 3º Cúpula América do Sul-Países Árabes (Aspa) entre os dias 13 e 16 deste mês, anunciou nesta segunda-feira que o evento será adiado devido à turbulência no norte da África e no Oriente Médio.

Em nota à imprensa, a chancelaria peruana informou que a postergação foi solicitada pela secretaria-geral da Liga Árabe, organização que congrega as 22 nações árabes, “ante as atuais circunstâncias que vivem muitos países da região”.

Ainda não se definiu uma nova data para a cúpula, mas, no domingo, o presidente do Peru, Alan García, sugeriu em uma coletiva que o evento ocorra no fim de março ou no final de abril, para não coincidir com as eleições no país.

Segundo Garcia, o encontro ocorrerá “de qualquer maneira, porque eles (árabes) tinham muitíssimo interesse em vir”.

Ao todo 33 países integram a Aspa, dos quais 22 são árabes e 11, sul-americanos. Entre as nações árabes, Egito, Tunísia, Jordânia e Iêmen têm enfrentado uma onda de manifestações populares contra os governos locais.

Primeira cúpula de Dilma

Iniciados na Tunísia em dezembro, os protestos resultaram na queda do presidente tunisiano Zine El Abidine Ben Ali, há três semanas, e forçaram outros governos da região a realizar concessões aos manifestantes.

Até o adiamento da cúpula, os países planejavam divulgar, durante o evento, uma nota conjunta em defesa da normalidade e do bem das populações das nações que têm vivido turbulências.

Na reunião, também era previsto que os negociadores tratassem da criação do Estado palestino. Nos últimos meses, seguidos pelo Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Peru, Equador e Venezuela reconheceram a Palestina como um Estado independente e soberano.

O encontro seria a primeira cúpula internacional em que a presidente Dilma Rousseff compareceria como chefe de Estado.

Além das reuniões entre representantes dos países, estavam planejadas para o encontro em Lima negociações entre empresários sul-americanos e árabes.

Idealizada durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a primeira Aspa ocorreu em Brasília, em 2005, e a segunda, no Catar, em 2009.

Notícias relacionadas