Onda de imigrantes tunisianos faz Itália declarar ‘emergência humanitária’

Direito de imagem AP
Image caption Fluxo de imigrantes cresceu após crise política na Tunísia

O governo italiano declarou, neste sábado, situação ‘emergência humanitária’ no país, após cerca de 3 mil imigrantes tunisianos chegarem ao país nos últimos dias.

A medida permite a liberação de fundos especiais e a contratação de funcionários para lidar com a situação.

Autoridades afirmaram que o fluxo de imigrantes da Tunísia se multiplicou com a crise que culminou com a saída do presidente Zine Al-Abidine Ben Ali, em 14 de janeiro.

A agência de refugiados da ONU confirmou que alguns imigrantes estão em busca de asilo político, enquanto outros estão fugindo da pobreza.

A maioria dos imigrantes tenta chegar à Itália em pequenas embarcações, que são interceptadas pela guarda costeira.

Centros de detenção

O governo italiano afirmou que os tunisianos conseguiram chegar à ilha de Lampedusa nos últimos três dias, lotando os abrigos existentes no local. A ilha fica mais perto do norte da África do que da Itália.

Balsas e aviões foram colocados em operação para transportar os imigrantes para centros de detenção na Sicília e em outros locais no sul da Itália, para que suas identidades pudessem ser checadas.

Na sexta-feira, o ministro do interior da Itália, Roberto Maroni, disse que era possível que terroristas e criminosos comuns tentassem se aproveitar da confusão para entrar na Europa.

Maroni solicitou que a Frontex, a agência que cuida da segurança de fronteiras da União Europeia, enviasse patrulhas para a região.

Notícias relacionadas