Preço de alimentos levou 44 milhões à pobreza desde junho, diz Bird

Mercado na China Direito de imagem AP
Image caption Alta nos alimentos lança mais pessoas na pobreza, diz instituição

O Banco Mundial (Bird) advertiu nesta terça-feira que os preços globais dos alimentos estão chegando a níveis “perigosos” e lançaram mais 44 milhões de pessoas na pobreza desde junho passado.

De acordo com a mais recente edição do relatório Food Price Watch, os preços dos alimentos subiram 15% entre outubro de 2010 e janeiro deste ano.

Esse aumento – particularmente alto no caso de produtos como trigo, milho, açúcar e óleos comestíveis - é sentido mais fortemente pela população mais pobre, que chega a gastar mais da metade de sua renda com a compra de alimentos.

“Os preços globais dos alimentos estão subindo a níveis perigosos e ameaçando dezenas de milhares de pessoas pobres ao redor do mundo”, disse em comunicado o presidente do banco, Robert Zoellick.

Leia também na BBC Brasil: Alta nos preços dos alimentos faz inflação na China chegar a 4,9%

O Banco Mundial pediu que a reunião do G20 em Paris, nesta semana, aborde o problema. Estarão presentes no encontro ministros da Fazenda e presidentes dos bancos centrais do grupo, que reúne países desenvolvidos e em desenvolvimento (entre eles o Brasil).

Distúrbios

Segundo Zoellick, a inflação nos alimentos tem contribuído para os atuais levantes no Oriente Médio, ainda que não seja a causa primária.

Em 2008, um rápido aumento nos preços de itens de alimentação provocou distúrbios em vários países.

Segundo o Banco Mundial, os preços atuais estão cerca de 3% mais baixos em comparação aos níveis de 2008, mas 27% mais altos do que os observados um ano atrás.

Outro relatório, divulgado neste mês pela FAO (braço da ONU para a alimentação e a agricultura), também fez um alerta para o aumento nos preços de itens alimentícios.

Segundo o FAO Food Price Index, os preços subiram 3,4% em janeiro passado com relação a dezembro de 2010 e alcançaram o maior nível desde que o índice começou a ser calculado, em 1990.

Leia também na BBC Brasil: Preço global dos alimentos bate recorde em janeiro, diz ONU

Notícias relacionadas