Navio e aviões vão retirar brasileiros da Líbia, diz Itamaraty

Antonio Patriota Direito de imagem Reuters
Image caption Segundo o Itamaraty, há entre 500 e 600 brasileiros na Líbia

O Ministério das Relações Exteriores informou nesta quarta-feira que um navio de grande porte partiu da Grécia rumo à Líbia, onde um grupo de 148 brasileiros e cidadãos de outras nacionalidades aguarda para ser resgatado.

Segundo o Itamaraty, também foram obtidas as autorizações para a aterrissagem, no aeroporto de Trípoli, de cinco vôos fretados por empresas brasileiras que operam na Líbia, para o embarque de seus funcionários. Eles devem ser evacuados entre a noite desta quarta e a quinta-feira.

A nota do órgão afirma ainda que a embaixada do Brasil na Líbia permanece em contato permanente com a comunidade brasileira no país.

Antes, na tarde desta quarta-feira, o ministro brasileiro de Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse estar confiante de que os esforços para resgatar os brasileiros na Líbia serão bem-sucedidos.

"Sem dar mais detalhes, eu estou muito confiante de que os nossos esforços para retirar do país aqueles que desejam partir serão bem-sucedidos", disse Patriota, após um encontro com a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, em Washington.

Leia: Diretor da Queiroz Galvão diz que brasileiros esperam sair de Benghazi até sexta-feira

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, há entre 500 e 600 brasileiros na Líbia, a maioria residentes. Todos estão bem, de acordo com o Itamaraty. Na terça-feira, cinco brasileiros foram retirados do país norte-africano em um avião da Força Aérea portuguesa.

Outros países

Nesta quarta-feira, duas balsas da Turquia conseguiram retirar cerca de 3 mil de seus cidadãos de Benghazi, onde vive um grande número de turcos que trabalham para empresas de construção. As embarcações contaram com a escolta de uma fragata.

Outros países, como França, Rússia, Holanda e Índia também já conseguiram evacuar parte de seus cidadãos.

A Grã-Bretanha enviou um avião para resgatar britânicos na Líbia e posicionou um navio de guerra próximo à costa do país.

O governo chinês, por sua vez, enviou aviões e navios para retirar cerca de 40 mil de seus cidadãos da Líbia. A operação conta com a colaboração da Grécia e da Itália, segundo a agência de notícias estatal grega ANA-MPA.

Colaborou Alessandra Corrêa, da BBC Brasil em Washington

Notícias relacionadas