Rússia reconhece cerveja como álcool pela primeira vez

Direito de imagem PA
Image caption A cerveja é considerada equivalente a refrigerantes na Rússia

O Parlamento russo aprovou em primeira instância um projeto de lei que reconhece, pela primeira vez no país, a cerveja como bebida alcoólica.

Até então considerada item alimentício na Rússia, a cerveja passará a ter sua produção controlada e seu consumo restrito da mesma forma que bebidas destiladas.

O projeto, que foi apresentado pela primeira vez no Parlamento na última terça-feira, ainda terá que passar por pelo menos mais duas audiências parlamentares e ser aprovado pelo presidente Dmitry Medvedev antes de se tornar lei.

A iniciativa pretende limitar a venda de cervejas com teor alcoólico superior a 5% e aumentar os impostos sobre a produção da bebida, para reduzir o consumo de álcool no país, cujos níveis de alcoolismo alarmam as autoridades.

Restrição

Se entrar em vigor, a nova lei proibirá a venda da bebida em estabelecimentos comerciais entre as 11 horas da noite e as 8 horas da manhã.

Também será proibido vender cerveja em aeroportos, estações de trem e de metrô, quiosques em locais abertos e em arredores de lugares públicos, onde haja aglomeração de pessoas.

O conteúdo de latas e garrafas será restrito a 330 mililitros.

Segundo o jornal russo Pravda, por causa da baixa qualidade do álcool que circula no país, a lei também deve dificultar a aquisição de selos especiais para bebidas alcoólicas por parte das empresas e concentrar a fiscalização da qualidade da produção em órgãos federais.

Segundo pesquisadores, o consumo de cerveja na Rússia triplicou nos últimos 15 anos por causa dos baixos preços e da disponibilidade da bebida.

No entanto, ante a predileção nacional por bebidas destiladas mais fortes, como a vodka, a cerveja é considerada pela população russa como uma espécie de refrigerante.

Notícias relacionadas