Protestos na Tunísia deixam três mortos

Protestos em Túnis Direito de imagem BBC World Service
Image caption O governo de Ben Ali caiu após semanas de protestos em Túnis

Autoridades tunisianas informaram que três pessoas foram mortas neste sábado em confrontos entre manifestantes e forças de segurança em Túnis, a capital do país.

A polícia usou gás lacrimogênio, cassetetes e munição real contra os manifestantes, que se reuniram em frente ao ministério do Interior.

O protesto ocorreu um dia após policiais disperarem uma multidão que exigia a renúncia do primeiro-ministro tunisiano, na maior manifestação desde que o presidente Zine El-Abidine Ben Ali fugiu do país.

O governo interino do premiê Mohammed Ghannouchi, que serviu a Ben Ali desde 1999, prometeu eleições para julho.

Embora Ghannouchi tenha introduzido reformas e removido nomes mais polêmicos do gabinete de governo, manifestantes permanecem insatisfeitos com o fato de alguns membros do antigo regime permanecerem na administração interina.

Confrontos

No sábado, os confrontos se estenderam por várias horas, enquanto os manifestantes tentavam atacar o ministério do Interior, diz o correspondente da BBC Paul Moss.

A polícia e homens encapuzados, armados com bastões, vasculharam as ruas procurando manifestantes.

Num comunicado, o ministério afirmou que três das doze pessoas feridas nos confrontos haviam morrido. O órgão disse ainda que muitos membros das forças de segurança se feriram em variados graus.

Segundo Moss, o cheiro de gás podia ser percebido no centro da cidade horas após o ocorrido.

Ele diz que tudo ocorreu rapidamente e muitos que realizavam compras, incluindo mulheres carregando crianças, se viram no meio da confusão.

De acordo com o ministério do Interior, mais de cem pessoas foram presas no sábado, e outras 90 haviam sido detidas na sexta-feira, quando uma morte foi reportada.

Notícias relacionadas