Estados Unidos

Museu da CIA tem peixe-robô e estojo de maquiagem usado por espiões

Museu da CIA conta história da espionagem

  • Localizado na sede da CIA em Langley (Virgínia), o museu não está aberto ao púbico. Foto: Governo dos Estados Unidos
    O museu da CIA tem diversos itens dignos de filmes de espionagem. Este peixe-robô tem um sistema de comunicações. Localizado na sede da CIA, o museu não está aberto ao público, mas a agência disponibilizou imagens na internet. Foto: Governo dos EUA
  • Localizado na sede da CIA em Langley (Virgínia), o museu não está aberto ao púbico. Foto: Governo dos Estados Unidos
    Esta moeda falsa de um dólar foi criada para que os espiões americanos escondessem informações e microfilmes sem que fossem pegos.
  • Localizado na sede da CIA em Langley (Virgínia), o museu não está aberto ao púbico. Foto: Governo dos Estados Unidos
    Criada pela CIA nos anos 70, esta libélula artificial foi o primeiro de uma série de experimentos com aparelhos voadores em miniatura.
  • Localizado na sede da CIA em Langley (Virgínia), o museu não está aberto ao púbico. Foto: Governo dos Estados Unidos
    O espelho deste estojo de maquiagem esconde um código. Quando o espelho é inclinado em um ângulo específico, o código é revelado.
  • Localizado na sede da CIA em Langley (Virgínia), o museu não está aberto ao púbico. Foto: Governo dos Estados Unidos
    Este detector de invasores utilizado durante a Guerra Fria era camuflado junto ao terreno, podendo captar o movimento de pessoas, animais e objetos a 300 metros de distância.
  • Localizado na sede da CIA em Langley (Virgínia), o museu não está aberto ao púbico. Foto: Governo dos Estados Unidos
    Este objeto foi criado para que espiões guardassem filmes e dados, que eram enterrados em locais pré-determinados para que outros agentes pegassem depois.
  • Localizado na sede da CIA em Langley (Virgínia), o museu não está aberto ao púbico. Foto: Governo dos Estados Unidos
    A CIA criou uma câmera leve e pequena o suficiente para que fosse amarrada em pombos. Voando em grandes alturas, os pássaros faziam imagens amplas e nítidas.
  • Localizado na sede da CIA em Langley (Virgínia), o museu não está aberto ao púbico. Foto: Governo dos Estados Unidos
    A CIA planejava as roupas de seus agentes para que eles fossem a locais hostis sem despertar suspeitas.
  • Localizado na sede da CIA em Langley (Virgínia), o museu não está aberto ao púbico. Foto: Governo dos Estados Unidos
    Esta máquina codificadora Enigma, utilizada pelos nazistas, podia criar até 150 quintiliões de combinações.
  • Localizado na sede da CIA em Langley (Virgínia), o museu não está aberto ao púbico. Foto: Governo dos Estados Unidos
    Além de itens da Segunda Guerra e da Guerra Fria, o museu da CIA tem objetos mais recentes, como este manual de treinamento da al-Qaeda, encontrado no Afeganistão em 2001.
  • Localizado na sede da CIA em Langley (Virgínia), o museu não está aberto ao púbico. Foto: Governo dos Estados Unidos
    Nos anos 1950, a CIA criou este mini-submarino para dois tripulantes. Embora não pudesse levar armas, esta embarcação chegava em locais inacessíveis para outros navios.
  • Localizado na sede da CIA em Langley (Virgínia), o museu não está aberto ao púbico. Foto: Governo dos Estados Unidos
    Aparelhos foram criados na Segunda Guerra para abrir cartas sem romper o selo. Esta espécie de pinça era inserida no envelope por uma fenda. Depois, o papel era enrolado e retirado.

Um peixe-robô movido a controle remoto, um estojo de maquiagem usado para guardar códigos secretos e uma libélula artificial são alguns dos itens expostos no museu da Agência Central de Inteligência americana (CIA).

O museu, por estar localizado no interior da sede da CIA, em Langley (Estado de Virgínia), não está aberto para visitas do público em geral. No entanto, a agência disponibilizou na internet as imagens de vários itens do acervo.

Entre os objetos expostos no museu, está um Veículo Submarino Não-Tripulado que nada mais é que um peixe artificial, comandado por controle remoto, que possui um sistema de comunicações dentro de seu "corpo" e um dispositivo de propulsão na cauda.

Outro "animal-robô" do acervo é uma espécie de libélula artificial, criada nos anos 70 como um dos primeiros experimentos envolvendo aparelhos voadores em miniatura.

Alguns itens do museu da CIA são dignos de filmes de espionagem, como um estojo de maquiagem que esconde um código. Ao inclinar o espelho do estojo em um determinado ângulo, o código é revelado.

Alguns objetos do museu da CIA remetem à Segunda Guerra Mundial, como um aparelho nazista de codificação chamado Enigma. Outros são mais recentes, como um manual de treinamento da rede al-Qaeda, encontrado em 2001 na cidade afegã de Kandahar.

Além da CIA, o acervo do museu inclui material coletado pelo órgão que precedeu a agência, o Departamento de Serviços Estratégicos, além de organizações estrangeiras de inteligência.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.