Desemprego nos EUA cai pelo 3º mês e fica em 8,9% em fevereiro

Banner com a palavra 'emprego' na fachada da Câmara de Comércio dos EUA Direito de imagem AFP
Image caption Em fevereiro, 192 mil empregos foram criados nos EUA

A taxa de desemprego nos Estados Unidos teve leve queda em fevereiro, de 9% para 8,9%, informou nesta sexta-feira o Departamento do Trabalho do país.

Trata-se do terceiro mês consecutivo de redução do desemprego, que ainda é um dos maiores problemas enfrentados pelo governo de Barack Obama. Em novembro passado, a taxa de desocupação havia chegado a 9,8%.

Segundo o Departamento de Trabalho, foram criadas 192 mil vagas em fevereiro – a maioria delas no setor privado, em áreas como indústria, construção, serviços e transporte –, superando as expectativas do mercado.

A pequena melhora no indicador segue a tendência apontada por outros indicadores de crescimento na economia americana. Dados apontam crescimento nas vendas e nas exportações e que o setor de serviços está avançando no ritmo mais rápido em cinco anos.

Expansão

“Mudamos para uma fase de expansão do ciclo econômico, e a economia está se autossustentando”, opinou Brian Levitt, economista do banco de investimentos OppenheimerFunds, de acordo com a agência de notícias Reuters.

Mas, ainda que o desemprego esteja no seu nível mais baixo em quase dois anos, o número de desempregados nos Estados Unidos está em 13,7 milhões de pessoas, o que ainda representa quase o dobro dos níveis pré-recessão.

No início de fevereiro, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Ben Bernanke, havia dito que deve demorar “vários anos” até que a taxa de desemprego nos Estados Unidos volte a um nível considerado por ele “normal”.

Leia mais na BBC Brasil: Desemprego nos EUA vai permanecer alto por vários anos, diz Fed

Notícias relacionadas