Ex-presidente moderado do Irã destituído de cargo-chave do regime

Direito de imagem AFP
Image caption Rafsanjani: alvo de campanha da ala de linha-dura do regime iraniano

O ex-presidente do Irã Akbar Hashemi Rafsanjani foi destituído da chefia de um poderoso órgão do clero iraniano, segundo relatos.

Rafsanjani presidiu nos últimos quatro anos a Assembléia dos Especialistas, que elege o supremo líder do país - cargo mais importante da hierarquia religiosa e política iraniana - e supervisiona suas atividades.

O político, entretanto, vinha sendo criticado pela ala linha-dura do governo por ser muito próximo da oposição.

O aiatolá Mohammad Reza Mahdavi Kani foi escolhido para substituí-lo, segundo a agência de notícias iraniana Mehr.

Rafsanjani afirmou que não disputaria o cargo com Kani, para "manter o país unido".

"Se ele (Kani) está pronto e aceitou a responsabilidade, certamente não me candidatarei, para que possamos eliminar as diferenças e esta instituição sagrada não seja danificada", disse ele.

Rafsanjani presidiu a Assembléia - um conjunto de clérigos eleitos, que em tese tem o poder de destituir o supremo líder do país - desde 2007.

Mas ele foi privado de seu papel de líder das rezas das sextas-feiras após criticar a repressão a protestos da oposição, após a reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad, em 2009.

Relatos dão conta de que membros da linha-dura e simpatizantes de Ahmadinejad vinham, nas últimas semanas, fazendo lobby pela destituição de Rafsanjani e sua substituição por Kani - um conservador moderado, visto como mais distante da oposição.