Liga Árabe apoia zona de exclusão aérea na Líbia

Rebeldes em frente a refinaria de petróleo em Ras Lanuf (AP) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Tropas do governo teriam expulsado rebeldes de Ras Lanuf

A Liga Árabe decidiu neste sábado apoiar que o Conselho de Segurança da ONU determine uma zona de bloqueio aério na Líbia.

Durante uma reunião no Egito, capital do Cairo, os 22 membros da organização também decidiram estabelecer um contato formal com o Conselho Nacional da Líbia, formado pelos opositores do líder Muamar Khadafi.

Segundo correspondente da BBC na Líbia, a decisão da Liga Árabe dá à Otan e à União Europeia o apoio regional que eles precisavam para tomar qualquer tipo de decisão militar sobre o país.

Os governo da Grã-Bretanha e da França já haviam pressionado para a aprovação da zona de exclusão aéreas O secretário-geral da Liga Árabe, Amr Moussa, também tinha declarado seu apoio à ideia.

Na reunião no Cairo, apenas dois países votaram contra o bloqueio aéreo: Síria e Argélia.

A iniciativa tem como objetivo evitar que as forças do governo usem aviões e helicópteros para atacar os rebeles. Ainda não há, no entanto, detalhes de como esse bloqueio será realizado.

Combates

Mais cedo, as tropas de Khadafi retomaram a cidade petrolífera de Ras Lanuf, até então controlada pelos rebeldes.

Os oposicionistas foram empurrados 20 quilômetros para os arredores da cidade e perderam o controle também da refinaria de petróleo local.

Leia mais na BBC Brasil: Tropas de Khadafi expulsam rebeldes de cidade produtora de petróleo

No começo da semana, as forças de Khadafi retomaram a cidade de Zawiya, a quase 50 quilômetros a oeste de Trípoli.

Notícias relacionadas