Desmontada maior rede de pedofilia já encontrada na web

BBC
Image caption Cerca de 70 mil pessoas trocavam fotos e vídeos por meio de fórum

Uma investigação policial desmontou a maior rede de pedofilia já descoberta na internet, com cerca de 70 mil integrantes e conexões em 30 países, informou nesta quarta-feira a Europol (agência de polícia da Europa).

Segundo o chefe da Europol, Rob Wainwright, 670 suspeitos foram identificados, dos quais pelo menos 170 foram detidos - 121 apenas na Grã-Bretanha.

Além disto, já foram identificadas 230 crianças que sofreram abusos pelos pedófilos.

A Europol prevê que o número de detidos vai aumentar, na medida em que mais integrantes da rede venham a ser descobertos.

Fórum online

Segundo Wainwright, os pedófilos usavam um fórum online cujo servidor ficava na Holanda, chamado boylover.net, para trocar fotos e vídeos de crianças molestadas.

Os detetives envolvidos na investigação, de acordo com a Europol, se fizeram passar por pedófilos para se infiltrar na rede e coletar informações.

A operação policial, batizada de Operação Resgate, levou três anos para ser realizada. Entre os países onde foram encontrados suspeitos estão Grã-Bretanha, Holanda, Austrália, Itália, Canadá e Tailândia.

No Reino Unido, existem 240 suspeitos, todos com idades entre 17 e 82 anos. Entre eles, estão policiais e professores.

"A salvaguarda de tantas crianças vulneráveis é particularmente recompensadora e demonstra o comprometimento de nossa agência com o objetivo de fazer da Europa um lugar mais seguro para seus cidadãos", disse Wainwright.

Para o chefe do Centro de Exploração de Crianças e Proteção Online britânico (Ceop, sigla em inglês), Peter Davies, a tecnologia que os suspeitos utilizavam para se comunicar acabou sendo usada contra eles próprios.

"Tudo que eles faziam online, todos com quem eles falavam ou qualquer coisa que eles compartilhavam podia e foi traçado ao seguir as suas 'pegadas' digitais", disse.

Brasil

A operação teve uma ramificação no Brasil que, em novembro de 2009, resultou na prisão e no indiciamento de um brasileiro de 48 anos acusado de molestar crianças em sua casa em Suzano (SP), explica à BBC Brasil o delegado da Polícia Federal Stenio Santos Souza, chefe do grupo especial de combate a crimes de pedofilia.

A prisão foi feita a partir de uma denúncia anônima e de vídeos que mostravam o abuso de menores.

A polícia investigou que a casa em Suzano servia também para hospedar um holandês que posteriormente foi preso pela Interpol sob acusação de ter aliciado menores no Brasil. Ele também é réu na Justiça brasileira.

“Esse holandês agora é apontado como um dos principais alvos da Operação Resgate”, diz o delegado Santos Souza.

Notícias relacionadas