Explosões em fábrica de armamentos matam ao menos 78 no Iêmen

Manifestante contra o governo em Sanaa (Foto: AP) Direito de imagem AP
Image caption Protestos contra o governo têm abalado o Iêmen

Uma sequência de explosões em uma fábrica de munição no sul do Iêmen matou ao menos 78 pessoas e deixou dezenas feridas nesta segunda-feira.

Segundo fontes médicas, as explosões sacudiram a cidade de Jaar, e foram ouvidas a 15 quilômetros de distância. Não ficou claro ainda o que causou as explosões.

A fábrica teria sido capturada por extremistas islâmicos no domingo, em meio a choques com forças do governo. Autoridades disseram que corpos ainda estão sendo retirados do local. Segundo fontes médicas, há mulheres e crianças entre os mortos.

A fábrica, localizada na região de Khanfar, próxima à cidade de Jaar, produz munição e fuzis Kalashnikov. Havia relatos de que extremistas islâmicos tinham assumido o controle da cidade de Jaar e de vilarejos adjacentes, na província sulista de Abyan.

O Iêmen vem sendo sacudido há semanas por protestos contra o governo do presidente Ali Abdullah Saleh, e por outros episódios de violência.

O desemprego no país é de 40%, os preços dos alimentos não param de subir e há níveis agudos de desnutrição.

O país também é acossado por vários problemas de segurança, incluindo um movimento separatista no sul e um levante de tribos xiitas no norte.

Há temores de que o Iêmen se transforme em um refugio da rede Al Qaeda, dado que o alto número de jovens desempregados são vistos como recrutas em potencial para redes extremistas islâmicas.

Notícias relacionadas