Forças pró-Khadafi reagem e impedem avanço de rebeldes

Direito de imagem Reuters
Image caption Os rebeldes enfrentaram ataques no caminho para Sirte

Avançando rumo a Sirte, um dos principais redutos do líder da Líbia, Muamar Khadafi, rebeldes da Líbia enfrentaram nesta segunda-feira forte resistência de forças pró-Khadafi a oeste da cidade costeira de Bin Jawad (centro do país).

Os opositores, que controlam Bin Jawad, disseram que as tropas do governo estavam lançando um pesado contra-ataque e fugiram, de acordo com o correspondente da BBC na Líbia Ben Brown.

A Otan, que comanda a ofensiva militar que visa proteger civis dos ataques das forças pró-Khadafi, refutou acusações de que seus ataques estariam apenas fornecendo cobertura para os rebeldes e não evitando mortes de inocentes.

O ministro do Exterior da Rússia, Sergei Lavrov, disse que parte dos ataques aéreos equivale a uma interferência em uma guerra civil.

‘Tarde demais’

No início do dia, os governos da França e da Grã-Bretanha emitiram um comunicado conjunto em que pedem a saída imediata de Khadafi.

Leia mais na BBC Brasil : França e Grã-Bretanha pedem que rebeldes organizem transição na Líbia

Os dois governos também pediram que aliados de Khadafi se entreguem “antes que seja tarde demais”.

Em outro front, continua intenso o confronto em Misrata, cidade no oeste da Líbia controlada pelos rebeldes.

As informações sobre a situação na localidade são conflitantes. Há relatos de que as forças de Khadafi teriam bombardeado o local na segunda-feira.

A chancelaria do país afirmou que um cessar-fogo havia sido implementado e que Misrata estava calma novamente.

No entanto, o correspondente da BBC John Simpson foi levado, por funcionários do governo, para uma visita à cidade. Segundo ele, o fato de o grupo de jornalistas não ter sido levado para o centro da cidade indica que os confrontos continuam.

Notícias relacionadas