Londres usa infratores para limpar cidade antes do casamento real

Infrator usado no esquema alternativo limpa passarela de pedestre em Londres (foto cedida pelo Conselho de Westminister) Direito de imagem Westminster Council
Image caption Infratores cometeream delitos considerados de pequeno porte

Um grupo de infratores está sendo usado para limpar túneis subterrâneos de Londres que levam à região em que será realizado o casamento do príncipe Williiam e Kate Middleton, no dia 29 de abril

Todas as cinco passarelas subterrâneas da região de Westminster, onde se encontra a abadia em que será realizada a cerimônia, estão sendo limpas por autores de delitos considerados de pouca gravidade.

A expectativa é de que o grupo - munido de detergentes, esfregões, panos e escovas de aço - conclua a limpeza dos túneis subterrâneos até a data do casamento.

O trabalho teve iníco na última terça-feira e será realizado ao longo deste mês. Um lado de cada passarela subterrânea será bloqueado, a fim de permitir a limpeza, enquanto o lado oposto permanecerá aberto aos pedestres. Os infratores não serão pagos pelo serviço.

Direito de imagem Westminster Council
Image caption Delinquentes não receberão pagamento pelo serviço

Segundo Ravi Kumar, diretor do conselho responsável pela manutenção das ruas dos bairros de Knightsbridge e Belgravia, conta que abordou a empresa London Underground, responsável pelo metrô e por túneis subterrâneos da cidade, a fim de que ela organizasse o serviço.

Kumar, que cuida de assuntos que vão desde comércio ilegal até despejo de lixo nas ruas, afirma que reclamações sobre o estado das passarelas de pedestres da região já datavam de quatro anos.

''Estava se tornando uma dor de cabeça, já que não queríamos que as pessoas vissem o estado dos túneis assim que elas chegam a Londres. Eles são limpos todas as noites, mas precisavam de um trabalho de braço de verdade. Eu próprio desci lá algumas vezes com uma esponja de aço e dei uma esfregada. Isso acabou fazendo uma diferença, por isso pensei que fazer o serviço manualmente talvez fosse nossa melhor opção'', afirmou.

Ed Argar, do Conselho de Westminster, disse saber que ''os olhos do mundo'' estarão voltados para a região, e que por isso cabe a eles garantir a oferta para os visitantes do ''melhor ambiente possível''.