Fazer compras 'faz bem à saúde dos mais velhos', diz estudo

Image caption Ida às compras é um exercício físico e mental que promove interação

Uma pesquisa indicou que fazer compras pode fazer bem para a saúde, pelo menos para os mais velhos.

O estudo, conduzido por cientistas taiwaneses, analisou 1,8 mil homens e mulheres com idade acima de 65 anos que moravam por conta própria.

Mesmo levando em conta fatores como mobilidade física e capacidade cognitiva, a pesquisa indicou que os indivíduos que saem às compras diariamente têm longevidade maior que aqueles que não adotam o hábito com a mesma frequência.

Na avaliação da equipe, que publicou o seu estudo na versão online da revista acadêmica <i>Journal of Epidemiology & Community Health</i>, a "terapia das compras" representa uma oportunidade de se exercitar, manter uma dieta saudável e uma vida social ativa.

"Fazer compras normalmente tem a finalidade de lazer, com um potencial de aumento no bem-estar", escrevem os pesquisadores, no estudo coordenado por Yu-Hung Chang, do Instituto de Ciências de Saúde Populacional de Taiwan.

"Comparado com outros tipos de atividades que combinam lazer e exercícios físicos - como por exemplo, exercícios regulares, que normalmente requerem motivação e algumas vezes instrução profissional -, o ato de fazer compras é uma atividade fácil de ser realizada e mantida."

<b>Bem-estar</b>

A pesquisa cruzou os dados de um levantamento feito em 1999-2000, no qual os entrevistados diziam com qual frequência iam às compras.

Depois, a equipe acompanhou a longevidade dos entrevistados por meio do registro nacional de óbitos, entre 1999 e 2008.

Segundo as conclusões da pesquisa, aqueles que faziam compras diariamente tinham chances 27% menores de morrer que aqueles que mantinham o hábito apenas uma vez por semana ou menos.

A equipe reconheceu que a capacidade de fazer compras já destaca os indivíduos com saúde mais forte logo de saída, mas apontou que as conclusões se mantiveram mesmo após o ajuste dos resultados por fatores como limitações físicas e declínio nas capacidades cognitivas.

Comentando a pesquisa, o especialista britânico David Oliver diz que a conclusão "faz sentido", já que sair às compras promove estímulos físicos e mentais, assim como interação social.

"O que os pesquisadores taiwaneses mostraram é que continuar a fazer compras é um sinal indicativo de bem-estar e de uma vida longa", disse o especialista.

"Fazer compras normalmente envolve atividade física, interação social com outros consumidores e, sendo uma atividade complexa, vai manter o indivíduo mentalmente ativo."