Produtos da região de Fukushima são seguros, diz premiê japonês

Cão foi abandonado dentro da zona de exclusão, a cerca de 6 km da usina de Fukushima (Getty) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Cão foi abandonado dentro da zona de exclusão, a cerca de 6 km da usina de Fukushima

O primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, afirmou nesta terça-feira que os produtos da região em volta da usina atômica de Fukushima (nordeste do país) são seguros, apesar dos vazamentos radioativos ocorridos depois do terremoto e do tsunami que atingiram a instalação em março.

Kan disse que os níveis de radiação agora estão caindo, e o consumo dos produtos locais são uma forma "de dar apoio à região".

"As pessoas não devem ficar em um estado extremo de comedimento. Devem viver uma vida normal, disse Kan em uma coletiva na noite desta terça-feira.

"Pouco a pouco, os reatores da usina de Fukushima Daiichi estão se aproximando da estabilidade", acrescentou.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) afirmou que dados coletados a partir das últimas análises de alimentos mostraram que a contaminação na região estava abaixo dos limites estabelecidos pelo Japão.

"Amostras de vários vegetais, frutas, várias carnes, frutos do mar e leite de oito províncias indicaram que iodo 131, césio 134 e césio 137 não foram detectados ou então estão abaixo dos valores regulamentados", afirmou o vice-chefe da agência Denis Flory.

A Organização Mundial da Saúde (OMS), por sua vez, afirmou que os riscos à saúde em decorrência do acidente não pioraram.

"Nossa avaliação de saúde pública é a mesma de ontem (segunda-feira)", disse o porta-voz da OMS Gregory Hartl. "No momento, há pouquíssimo risco de saúde pública fora da zona (de evacuação) de 30 quilômetros."

Reclassificação

Ainda nesta terça-feira, as autoridades no Japão elevaram a gravidade da crise nuclear no país para o nível máximo.

A decisão foi tomada depois da medição da radioatividade na usina de Fukushima Daiichi, segundo informações da rede NHK.

O nível mais alto para acidentes nucleares, sete, só havia sido usado anteriormente durante o desastre de Chernobyl, em 1986.

Até agora, o grau de gravidade da crise nuclear no Japão estava no nível cinco, o mesmo do acidente em Three Mile Island, nos Estados Unidos, em 1979.

Leia mais na BBC Brasil: Japão emite alerta nuclear em nível equivalente ao de Chernobyl

Notícias relacionadas