América Latina

Cuba enfrenta pior seca em 50 anos

Player

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Tocar com outro programa

A seca que atinge Cuba há dois anos, a mais grave em meio século, chegou ao seu nível mais crítico.

O governo já entrou em ação para transportar água potável até as regiões mais afetadas da capital, Havana, que tem 2 milhões de moradores.

Segundo o correspondente da BBC em Havana Michael Voss, mais de 100 mil pessoas dependem totalmente dos caminhões-pipa para suprir as suas necessidades básicas.

Os habitantes da capital carregam baldes e garrafas pelas ruas da cidade, em busca do máximo de água possível.

BBC

Moradoers recorrem a caminhões-pipa para obter água potável

Uma moradora entrevistada pela BBC diz que a situação está fora de controle, e lamenta o fato de não conseguir se lavar quando quer, e sim quando é possível.

Já outro morador diz que, com a falta d'água, não consegue limpar sua casa, cozinhar ou lavar suas roupas.

De acordo com o correspondente da BBC, os reservatórios de água de Cuba estão com apenas 20% de sua capacidade normal.

A temporada de chuvas ocorre entre maio e junho, mas o governo estima que os reservatórios não ficarão cheios mesmo que chova normalmente neste período.

A seca não é o único problema no país. Segundo a imprensa oficial cubana, 70% das tubulações que formam o sistema de distribuição de água em Havana estão vazando, e precisam de consertos urgentes.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.