Papa diz na TV não ter explicação para sofrimento no Japão

Bento 16 Direito de imagem BBC World Service
Image caption O Papa respondeu sete perguntas no programa

O papa Bento 16 afirmou nesta sexta-feira, durante um programa de TV transmitido na Itália, que não sabe explicar o porquê de tragédias como o terremoto e o tsunami que atingiram o Japão em 11 de março.

O sumo pontífice fez a declaração ao responder a uma pergunta enviada por uma menina japonesa de sete anos. Foi a primeira vez na história da Igreja Católica que um papa respondeu diretamente, pela TV, a perguntas feitas por fiéis.

"Não temos as respostas, mas sabemos que Jesus sofreu como vocês, inocente, e que o Deus verdadeiro, que se mostra em Jesus, está junto a vocês. Isto me parece muito importante, ainda que não tenhamos respostas, que a tristeza permaneça", disse.

"Um dia vamos entender que este sofrimento não era vazio, não foi por acaso, mas por trás dele há um projeto bom, de amor."

Alma

Bento 16 respondeu às perguntas de fiéis no programa de 80 minutos A Sua Imagem, Perguntas sobre Jesus, que foi ao ar na Rai 1, principal canal da televisão pública italiana.

As respostas do papa Bento 16 foram gravadas pela CTV, Centro Televisivo do Vaticano, na semana passada, na biblioteca do Palácio Apostólico.

Nas imagens, o sumo pontífice apareceu em plano bem fechado, sentado numa cadeira estofada de branco, diante de sua escrivaninha.

O papa respondeu a sete questões, selecionadas entre cerca de 3 mil, enviadas por fiéis de vários países.

Uma italiana com o filho em coma há dois anos perguntou se a alma ainda está presente em seu corpo.

"Certamente a alma é presente, mas é como um violão cujas cordas estão quebradas. O instrumento do corpo é frágil e vulnerável, a alma não pode tocar, embora esteja presente", disse ele.

Ao falar a um fiel da Costa do Marfim, país que vive uma crise com uma mudança recente de presidente, Bento 16 fez um apelo pelo fim da violência.

"Convido com força todas as partes a renunciar à violência e procurar as vias da paz."

O papa pediu ainda a paz entre as diferentes comunidades religiosas no Iraque.

Notícias relacionadas