Ex-chefe de Jogos Britânicos na Índia é preso por corrupção

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Kalmadi é acusado de superfaturamento e corrupção

As autoridades indianas prenderam e indiciaram nesta segunda-feira por corrupção o ex-presidente do comitê organizador dos tumultuados Jogos da Comunidade Britânicas (ou Jogos Britânicos) realizados em Nova Déli no ano passado.

Suresh Kalmadi, que havia sido demitido da função em janeiro deste ano, foi acusado de fraude nos contratos relativos ao evento, cujo orçamento chegou a US$ 6 bilhões.

De acordo com as autoridades indianas de combate à corrupção, até US$ 1,8 bilhão deste total pode ter sido desviado.

Kalmadi terá de explicar diversas acusações, entre elas a de favorecer uma companhia suíça na compra de um sistema de cronometragem e contagem de pontos para os Jogos.

O ex-presidente do comitê organizador deve comparecer diante da Justiça na terça-feira. Se for considerado culpado, pode ser condenado à prisão.

Desorganização

Analistas em todo o mundo avaliaram que a desorganização, demora e as falhas do evento, realizado em outubro do ano passado, representaram uma vergonha para a Índia, que pretendia usar os Jogos Britânicos como vitrine de seu avanço como potência econômica na cena mundial.

Às vésperas da abertura dos Jogos, parte do forro do principal estádio da competição desabou.

Choveram críticas à falta de infraestrutura da vila olímpica e dos locais de competição.

Autoridades australianas chegaram a questionar a capacidade da capital indiana de sediar o evento.

Os problemas levaram alguns atletas a desistir de participar dos Jogos.

Além de Kalmadi, outras ex-autoridades responsáveis pela conturbada competição também foram presas e indiciadas em fevereiro.

Entre elas estão o ex-secretário geral e o diretor-geral do comitê, Lalit Bhanot e V.K. Verma.

Notícias relacionadas