Taxa de desemprego na Espanha sobe para 20,3%, nível mais alto em 14 anos

Fila para entrada em centro de empregos do governo em Madri (Reuters) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Espanha ainda tem maior taxa de desemprego da zona do euro

O índice de desemprego na Espanha atingiu seu nível mais alto nos últimos 14 anos, chegando a 21,3% no primeiro trimestre de 2011.

O último índice mostrou um aumento em relação aos 20,3% registrados no trimestre anterior.

Números oficiais mostram que 4,9 milhões de espanhóis estão desempregados.

Além da alta taxa de desemprego, a inflação de abril também registrou aumento na Espanha para 3,5%, em comparação aos 3,3% registrados em março.

A Espanha está tendo dificuldades para sair da longa recessão e o governo já impôs medidas de austeridade no país.

No entanto, o governo não espera que a economia comece sua recuperação com a criação de empregos até o final de 2011.

"Esperamos que isso marque o ápice do desemprego. Não acho que a situação vá melhorar muito nos próximos trimestres, mas, pelo menos, deve se estabilizar", disse Tullia Bucco, economista na consultoria Unicredit.

Recorde

Segundo a correspondente da BBC em Madri Sarah Rainsford, os últimos números mostram que empregos foram perdidos em todos os setores da economia espanhola e o número de desempregados, 4,9 milhões de pessoas, é um recorde.

A correspondente também afirma que os novos índices divulgados nesta sexta-feira mostram um aumento no número de famílias onde todos os trabalhadores estão desempregados.

Em algumas partes do país, como na Andaluzia, ao sul, a taxa de desemprego chega a quase 30%.

A taxa de desemprego da Espanha é mais do que o dobro da média na União Europeia.

Rainsford afirma que os problemas da Espanha começaram com o colapso do setor de construção, que acabou com centenas de milhares de empregos.

E a economia do país ainda luta para se recuperar, com o governo cortando gastos para reduzir o déficit no orçamento.

Mas, para pagar os benefícios para os desempregados do país, o governo espanhol poderá ter que pagar bem mais do que US$ 40 bilhões por ano.

Notícias relacionadas