Sede de organismos internacionais, Bélgica teme atentados após morte de Bin Laden

Sede da Otan em Bruxelas (arquivo/AFP/Getty) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Bruxelas é sede de vários organismos internacionais, entre eles, a Otan

Sede de vários organismos internacionais, a Bélgica está em estado de "alerta especial" diante do temor de um ataque terrorista em represália à morte de Osama Bin Laden, afirmou o primeiro-ministro interino belga, Yves Leterme.

O país recebe todos os dias ministros e altos funcionários de governos de todo o mundo, que vêm a Bruxelas para participar de reuniões com membros da Otan, da Comissão Europeia (braço Executivo da União Europeia), do Conselho Europeu ou do Parlamento Europeu.

Além disso, quatro vezes por ano os chefes de Estado e de governo dos 27 países da União Europeia se reúnem na capital belga diante de mais de mil jornalistas, o que torna a cidade um alvo ideal para um atentado de grande impacto.

Por isso, a agência estatal responsável por avaliar os riscos de um ataque terrorista na Bélgica (Ocam, em francês) está considerando aumentar o nível de alerta, atualmente em dois de uma escala de quatro.

O primeiro-ministro interino disse que os dispositivos de segurança do país serão "adaptados" caso a agência considere necessário.

A decisão deverá tomada "nos próximos dias", explicou Leterme em uma entrevista concedida à televisão estatal RTBF.

O diretor da OCAM, André Vandoren, ressaltou que três supostos membros da Al Qaeda foram detidos na Alemanha na semana passada com planos de um atentado contra a Bélgica, o que reforça o temor de um ataque terrorista no país.

"Devemos permanecer vigilantes face à possíveis represálias", alertou o ministro belga de Defesa, Pieter De Crem, em entrevista à rádio VRT.

Notícias relacionadas