Bin Laden tentou usar esposa como escudo, diz Casa Branca

John Brennan, em coletiva em Washington Direito de imagem AP
Image caption Tropas estavam prontas para capturar extremista vivo, diz assessor

Os Estados Unidos disseram que o líder da Al-Qaeda, Osama Bin Laden, tentou usar uma de suas esposas como escudo no momento em que as forças americanas atacaram o complexo onde ele estava escondido, na cidade de Abbottabad, ao norte da capital do Paquistão, Islamabad.

A informação foi dada por John Brennan, o principal assessor da Casa Branca para assuntos de segurança nacional e contraterrorismo, durante coletiva de imprensa em Washington na tarde desta segunda-feira.

Brennan deu mais detalhes sobre a operação que levou à morte do homem acusado de ser o principal mentor dos atentados de 11 de setembro de 2001 – que mataram cerca de 3 mil pessoas no World Trade Center, em Nova York, e no Pentágono, em Washington.

O assessor afirmou que a esposa de Bin Laden acabou morta na ação. Segundo Brennan, porém, não está claro se ela se colocou na linha de fogo por conta própria ou se foi mantida à força por Bin Laden.

À noite, fontes anônimas do governo colocaram em dúvida a informação de que uma esposa de Bin Laden tivesse morrido na ação e até mesmo sido usada como escudo. Disseram apenas que uma mulher ficou ferida.

Tiro na cabeça

De acordo com Brennan, as forças americanas estavam prontas para capturar o líder da Al-Qaeda vivo, se fosse possível.

“Se nós tivéssemos a oportunidade de pegar Bin Laden vivo, se ele não apresentasse qualquer ameaça, os indivíduos envolvidos (na operação) estavam aptos e preparados para fazer isso”, disse Brennan.

Segundo o assessor, isso não foi possível porque Bin Laden resistiu à captura e foi morto com um tiro na cabeça, após tiroteio com as forças americanas.

A morte de Bin Laden foi anunciada pelo presidente Barack Obama na noite de domingo, em discurso transmitido pela TV. Ele contou que o líder da Al-Qaeda havia morrido em uma operação das forças americanas na cidade paquistanesa de Abbottabad, ao norte da capital, Islamabad.

Segundo Brennan, Bin Laden foi enterrado no mar, segundo os ritos islâmicos, porque isso era “do melhor interesse de todos os envolvidos”.

Brennan disse também que a Casa Branca fará “todo o possível” para evitar que a morte do extremista seja colocada em dúvida.

Entretanto, por questões de segurança, ainda não foi decidido se serão reveladas ao público fotos da operação americana em Abbottabad.