Hillary Clinton diz que 'justiça foi feita' com morte de Bin Laden

A secretária de Estado americana, HIllary Clinton. Direito de imagem AP
Image caption Hillary disse que EUA continuarão luta contra o grupos "terroristas"

A secretária de Estado Americano Hillary Clinton disse na manhã desta segunda-feira que "a justiça foi feita", ao comentar a morte do líder e fundador da Al-Qaeda, Osama Bin Laden, um dos homens mais procurados do mundo.

No pronunciamento, Hillary prestou homenagem às famílias de pessoas que foram mortas pela "campanha de terror de Osama Bin Laden", como os bombardeios das embaixadas americanas na África e os ataques de 11 de setembro de 2001.

"Não foram ataques só contra americanos, embora tenhamos sofrido grandes perdas. Foram ataques contra o mundo inteiro. Em Londres, Madrid, Bali, Istambul e muitos outros lugares, pessoas inocentes, a maioria muçulmanos, foram alvejados."

"Sei que nada pode suprir a falta destas pessoas, mas espero que haja conforto no fato de que a justiça foi feita", disse a secretária de Estado.

Ela disse ainda que o esforço e a cooperação com outros países para o combate às atividades "terroristas" deverá continuar.

"A cooperação contínua será tão importante quanto antes, nos dias que virão. Porque mesmo ao passar por este marco, não devemos nos esquecer de que a batalha para parar a Al Qaeda e seu sindicato do terror não terminará com a morte de Bin Laden."

`Essa é a América´

Hillary afirmou que os Estados Unidos estão aplicando a estratégias aprovada pela Otan para ajudar o povo afegão na criação de um "governo forte", mas ressaltou que o país continuará a lutar contra a Al-Qaeda e seus aliados.

"Nossa mensagem para o Talebã permanece a mesma, mas hoje ela pode ter uma ressonância ainda maior. Vocês não podem esperar nossa desistência. Vocês não podem nos vencer. Mas vocês podem escolher abandonar a Al-Qaeda e participar de um processo político pacífico", disse.

Ela definiu os ataques da Al-Qaeda como motivados "por uma ideologia violenta que não dá nenhum valor à vida humana e não tem consideração pela dignidade humana".

"Sei que muitos acreditaram que esse dia não viria, mas deixem-me lembrá-los de que essa é a América. Nós aceitamos o desafio, perseveramos e fazermos o serviço", disse Hillary.

Por último, HillaryClinton relembrou os protestos políticos pró-democracia em diversos países árabes e disse que os povos do Oriente Médio estão "rejeitando narrativas extremistas" e pedindo pela democracia de maneira pacífica.

A morte de Bin Laden foi anunciada na madrugada desta segunda-feira (hora do Brasil) pelo presidente americano Barack Obama.

Em um pronunciamento à nação, Obama disse que Bin Laden foi morto em uma operação militar na cidade de Abbottabad, a 100 quilômetros de Islamabad, capital do Paquistão.

Notícias relacionadas