Mulher de ministro sul-africano é sentenciada a 12 anos de prisão por tráfico

Sheryl Cwele (arquivo/AFP) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Sheryl Cwele e seu cúmplice alegam inocência e prometeram recorrer

A mulher de um ministro sul-africano foi sentenciada nesta sexta-feira a 12 anos de prisão, acusada de tráfico de drogas.

Sheryl Cwele, casada com o titular da pasta de Inteligência, Siyabonga Cwele, havia sido condenada na última quinta por recrutar mulheres para transportar drogas do Brasil e da Turquia à África do Sul.

Seu cúmplice, um cidadão nigeriano, recebeu a mesma sentença. Ambos negam as acusações e vão recorrer da sentença.

As acusações vieram à tona em 2009, depois da prisão de uma sul-africana no Brasil, Tessa Beetge.

Ela foi flagrada com dez quilos de cocaína na bagagem, equivalentes a quase US$ 300 mil, e cumpre pena de oito anos em uma prisão de São Paulo.

Pedido de renúncia

O caso despertou críticas por parte da oposição sul-africana, que pediu a renúncia de Siyabonga Cwele, argumentando que, se ele sabia das atividades da mulher, não pode estar a cargo da inteligência do país.

Um porta-voz da oposição disse que “ou ele sabia das operações da mulher e se beneficiou disso ou ele não sabia, levantando dúvidas quanto a sua competência para o cargo de ministro”.

Notícias relacionadas