Talebã lança ataques contra prédios oficiais no Afeganistão

Veículo militar da Otan cruza rua de Kandahar durante confrontos deste sábado (AP) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Talebã assumiu responsabilidade por ataques em Kandahar

A milícia Talebã lançou uma série de ataques coordenados neste sábado contra Kandahar, a segunda maior cidade do Afeganistão.

Segundo o correspondente da BBC em Cabul Bilal Sarwary, foram pelo menos seis ataques suicidas e sete explosões.

Os alvos foram prédios do governo local, entre eles o gabinete do governador da província, o gabinete da agência de inteligência afegã e uma delegacia de polícia.

As horas de combates intensos deixaram pelo menos 23 pessoas feridas, incluindo três policiais.

Helicópteros americanos teriam se envolvido nos combates, segundo autoridades locais, e atiradores em um shopping center de quatro andares trocaram tiros com as forças de segurança posicionadas no complexo do governador da província, Tooryalai Wesa.

Ambos os lados usaram foguetes-granadas, metralhadoras pesadas e granadas de mão.

Uma testemunha ouvida pela agência de notícias Reuters afirmou que podia ver a coluna de fumaça subindo do complexo onde fica o gabinete do governador. Um porta-voz do governador confirmou o confronto à Reuters e acrescentou que os funcionários do governo de Kandahar estão bem.

Segundo o correspondente da BBC, a Otan afirmou que sabe sobre os confrontos em Kandahar e que está ajudando as forças afegãs, mas não foi informada da participação dos helicópteros na operação.

Dois suicidas que tentaram atacar a polícia foram mortos a tiros antes de atingir os alvos.

Segundo testemunhas o pânico se espalhou quando os confrontos começaram, com pessoas correndo pelas ruas e donos de lojas fechando os estabelecimentos para evitar saques.

Operação Badar

De acordo com Bilal Sarwary, no início da semana o Talebã anunciou uma nova ofensiva, chamada de Operação Badar, e afirmou que vai lançar ataques contra forças afegãs e estrangeiras no país.

Um porta-voz do Talebã Yusuf Ahmadi, afirmou que estes ataques em Kandahar não são uma vingança pela morte de Bin Laden, mas já tinham sido planejados há algum tempo como parte da ofensiva anual de primavera da milícia.

Os ataques deste sábado ocorreram horas depois de o Talebã ter divulgado um comunicado no qual afirmou que a morte do líder da rede Al-Qaeda, Osama Bin Laden "dará novo ímpeto à jihad (guerra santa) contra os invasores" do Afeganistão.

O comunicado foi enviado na sexta-feira por email a veículos de imprensa, através de um porta-voz do grupo.

O Talebã, que controlou a maior parte do Afeganistão de 1996 até a invasão americana, em 2001, é acusado de ter dado abrigo a líderes da Al-Qaeda, entre eles Bin Laden, enquanto estava no poder em Cabul.

O movimento chamou Bin Laden de "mártir" e afirmou que sua morte levará "centenas (de outras pessoas) ao martírio e sacrifício".

Também na sexta-feira, a Al-Qaeda confirmou a morte de Bin Laden por meio de um comunicado na internet publicado em fóruns dedicados à propagação de ideais radicais islâmicos.

Notícias relacionadas