Governo dos EUA divulga vídeos caseiros de Bin Laden

Osama Bin Laden em imagem divulgada pelo Pentágono (AP) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Imagens foram apreendidas no esconderijo de Bin Laden no Paquistão

O Pentágono divulgou neste sábado vídeos caseiros de Osama Bin Laden apreendidos no esconderijo do líder da rede Al-Qaeda no Paquistão, onde ele foi morto a tiros pelas forças especiais americanas na semana passada.

As imagens mostram Bin Laden assistindo a um programa a respeito dele em um canal de televisão árabe e também preparando uma mensagem em vídeo para os Estados Unidos.

Em uma entrevista coletiva em Washington, o Pentágono também divulgou um vídeo de propaganda gravado por Bin Laden e afirmou que ele tinha uma liderança ativa da Al-Qaeda a partir do complexo onde estava escondido na cidade paquistanesa de Abbottabad.

Cinco vídeos foram apreendidos na operação que resultou na morte do líder da Al-Qaeda.

No primeiro vídeo, filmado entre outubro e novembro de 2010, Bin Laden é mostrado usando uma espécie de pequeno chapéu branco e uma túnica branca, enquanto fala diretamente para a câmera, no mesmo estilo dos pronunciamentos em vídeo anteriores do líder da rede extremista.

Não há som no vídeo, mas autoridades do Pentágono afirmam que se tratava de uma mensagem de Bin Laden para os Estados Unidos.

Segundo o correspondente da BBC em Washington Jonny Dymond, outros três vídeos parecem ser um ensaio para a mensagem aos Estados Unidos.

Dymond afirma que estes são os primeiros vídeos do líder da rede extremista divulgados desde que a Al-Qaeda divulgou uma outra mensagem de Bin Laden em 2007.

Leia também na BBC Brasil: Morte de Bin Laden dará 'ímpeto' à luta no Afeganistão, diz Talebã

Grisalho

No vídeo onde é mostrado assistindo a um programa sobre ele mesmo em um canal de televisão árabe, Bin Laden aparece sentado no chão de uma sala, enrolado em o que parece ser um cobertor ou casaco, com o controle remoto nas mãos enquanto assiste televisão.

Em uma cena deste vídeo, Bin Laden aparece assistindo a uma imagem sua sobreposta a uma foto do World Trade Center em chamas, depois do choque dos aviões nos ataques de 11 de setembro de 2001.

A barba do líder da Al-Qaeda parece muito mais grisalha neste vídeo do que nos vídeos de propaganda da rede extremista.

Não há nada nos vídeos divulgados neste sábado que identifiquem que Bin Laden está no esconderijo onde foi morto em Abbottabad.

Mas a divulgação das imagens é parte de um esforço do governo americano para convencer os céticos que Osama Bin Laden foi realmente morto na operação da semana passada, segundo o correspondente da BBC.

Uma autoridades do setor de defesa dos Estados Unidos disse neste sábado que a operação que resultou na morte de Bin Laden conseguiu apreender a "maior coleção de materiais importantes ligados ao terrorismo já coletada".

As autoridades americanas estão examinando computadores, DVDs, discos rígidos e documentos apreendidos no complexo onde Bin Laden pode ter ficado escondido nos últimos seis anos.

'Figura ativa'

E uma das autoridades do setor de inteligência dos Estados Unidos disse a jornalistas no Pentágono que Bin Laden ainda supervisionava a estratégia e operações da Al-Qaeda, mesmo em seu esconderijo em Abbottabad.

"Ele estava longe de ser um líder sem autoridade, era uma figura ativa", afirmou.

Neste sábado, autoridades paquistanesas que estão interrogando a esposa iemenita de Bin Laden, que sobreviveu à operação no complexo onde o líder da Al-Qaeda foi morto, disseram à BBC que ela afirmou que Bin Laden tinha se recuperado dos problemas renais que tinham sido divulgados pela imprensa.

Uma autoridade paquistanesa, que não quis ser identificada, também informou à BBC que eles não receberam nenhum pedido do governo americano para extraditar a esposa de Bin Laden para os Estados Unidos.

Notícias relacionadas