Líder da Al-Qaeda no Iraque está entre 15 mortos em prisão de Bagdá

Autoridades aumentaram a segurança em Bagdá depois da morte de Huthaifa al-Batawi (AFP/Getty) Direito de imagem BBC World Service
Image caption Autoridades aumentaram a segurança em Bagdá depois da morte de Huthaifa al-Batawi

As autoridades do Iraque informaram neste domingo que pelo menos 15 pessoas foram mortas durante uma rebelião no complexo de prisões de Bagdá, incluindo um líder da Al-Qaeda no Iraque.

Huthaifa al-Batawi, acusado de planejar um ataque e cerco a uma igreja de Bagdá em outubro de 2010 no qual 50 pessoas morreram, teria liderado a rebelião.

Segundo informações, Batawi estava sendo interrogado quando conseguiu agarrar a arma de um policial e matar a tiros seu interrogador. Em seguida, ele fez reféns e libertou um grupo de detentos.

Batawi teria conseguido matar quatro policiais, incluindo dois de patentes superiores, antes de ser morto.

Planos de vingança

Uma autoridade do Ministério do Interior iraquiano disse à agência de notícias AFP que Batawi estava sendo levado para ser interrogado sobre possíveis planos da Al-Qaeda no Iraque para vingar a morte de Osama Bin Laden, quando o prisioneiro conseguiu agarrar a arma de um dos policiais.

Batawi então conseguiu libertar um grupo de detentos da prisão do bairro de Karrada, centro de Bagdá, na manhã deste domingo.

No entanto, este grupo foi morto pelos policiais que reforçaram a operação para reprimir a rebelião de presos.

Batawi estava entre as 12 pessoas presas em novembro de 2010 por envolvimento com o cerco à Igreja Católica no bairro de Karrada, ocorrido no dia 31 de outubro.

Mais de cem pessoas participavam da missa naquela ocasião e foram tomadas como reféns. Pelo menos metade delas morreu quando as forças de segurança iraquianas tentaram invadir a igreja e libertar os reféns.

Notícias relacionadas