Banheiros a céu aberto provocam polêmica política na África do Sul

Políticos observam banheiro a céu aberto na África do Sul (AFP) Direito de imagem AFP
Image caption Instalação de banheiros causou embaraço a partidos políticos

A construção de 1,6 mil banheiros a céu aberto tem despertado polêmica em uma cidade da África do Sul.

O líder da ala juvenil do Congresso Nacional Africano (CNA) – o partido governista -, Julius Malema, se uniu às críticas ao projeto, implementado em Rammolutsi, uma cidade governada pelo próprio CNA na província de Free State.

“Cabeças têm que rolar”, disse Malema a respeito dos banheiros, feitos de privadas e cisternas, mas sem nenhuma parede para dar privacidade aos usuários.

Ele foi a Rammolutsi tentar conter os danos que os banheiros provocaram à imagem do partido governista, que anteriormente havia criticado opositores da Aliança Democrática (DA) por terem implementado sanitários semelhantes em outra cidade.

O tema está provocando desconforto entre políticos, em meio a preparativos para eleições locais no país, em 18 de maio.

‘Sem dignidade’

Direito de imagem AFP
Image caption Moradores reclamam de falta de privacidade, já que não há paredes

Os banheiros a céu aberto estão presentes em diversas partes da cidade.

No mês passado, a Justiça havia determinado que uma cidade governada pelo DA, próxima à Cidade do Cabo, deveria prover coberturas para cerca de 1,3 mil banheiros expostos.

Outros políticos vieram a público dizer que os sanitários eram “desumanos” por não oferecerem “privacidade ou dignidade”.

Pesquisa publicada na semana passada calcula que cerca de 6% das residências sul-africanas não contam com banheiros.

Notícias relacionadas