Zelaya prepara volta a Honduras, dizem aliados

Pôster de Zelaya visto em manifestação em Tegucigalpa (Foto: Reuters) Direito de imagem Reuters
Image caption Ex-presidente, deposto por golpe, está hoje na República Dominicana

O presidente deposto de Honduras Manuel Zelaya quer retornar ao país centro-americano, dizem seus aliados.

No último dia 2, a Justiça hondurenha havia anulado os processos de corrupção que corriam contra o ex-presidente – que foi forçado a deixar o poder após um golpe de Estado, quase dois anos atrás, e vive atualmente na República Dominicana.

A decisão judicial abriu caminho tanto para o retorno de Zelaya a Honduras quanto para a reincorporação do país à Organização de Estados Americanos (OEA), após quase dois anos de suspensão.

Rasel Tome, assessor de Zelaya, disse à BBC que “em questão de dias ou semanas” pode haver acordos internacionais que permitam o retorno do ex-presidente, que foi deposto por suas tentativas de promover um plebiscito sobre uma Assembleia Constituinte.

Tome disse que Zelaya ainda defende a implementação da constituinte e que, antes de regressar, quer que seja reconhecido “como partido político legal” o movimento em defesa do ex-presidente.

Outro assessor de Zelaya, Juan Barahona, afirma que ele deve voltar a Honduras ainda neste mês.

Mediação

Colômbia e Venezuela têm agido como mediadoras entre os simpatizantes de Zelaya e o atual governo hondurenho, chefiado por Porfírio Lobo, que foi eleito em novembro de 2010.

Os dois países também operam para que a decisão política sobre a reincorporação de Honduras à OEA seja tomada antes da Assembleia Geral da organização, prevista para junho.

Notícias relacionadas