Ministro do STF mantém prisão de Battisti

O ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal), negou nesta segunda-feira um pedido de soltura solicitado pela defesa do ex-ativista italiano Cesare Battisti na última sexta-feira.

Para Mendes, “não há nenhum elemento novo” que justifique a libertação do italiano. Ele disse que o pedido de soltura apresentado na sexta-feira é semelhante a um apresentado em janeiro e rejeitado, na época, pelo ministro Cezar Peluso, presidente do STF.

“Permanecem, portanto, íntegros os fundamentos da decisão exarada pela Presidência desta Corte negando os pedidos de liberdade formulados pelo extraditando”, declarou Mendes em sua decisão.

O ex-ativista está preso em Brasília a pedido da Itália desde 2007. O STF aprovou sua extradição, mas deixou a decisão final a cargo do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em 31 de dezembro de 2010, Lula negou o pedido de extradição.

Battisti foi condenado à prisão perpétua, acusado de participação em quatro assassinatos no fim dos anos 70. Ele nega as acusações.