Atentado duplo do Talebã mata ao menos seis em hospital de Cabul

Direito de imagem AFP
Image caption Segurança em frente ao hospital em Cabul

Um atentado suicida contra um hospital na capital do Afeganistão, Cabul, matou ao menos seis pessoas e feriu outras 23.

Um suicida detonou explosivos em uma tenda no pátio do hospital Charsad Bestar, onde estudantes de medicina estavam almoçando.

O hospital trata militares afegãos, e está localizado em uma parte altamente militarizada da cidade, a metros da embaixada dos EUA e do quartel-general das forças de coalizão do país.

O grupo extremista Talebã assumiu a autoria do ataque.

Houve rumores de que um segundo suicida teria entrado no hospital, e a equipe do local recebeu ordens de se trancar em suas salas enquanto soldados buscavam o prédio, mas ninguém foi encontrado.

O porta-voz do Ministério da Defesa general Mohammad Zahir Azimi disse que as vítimas eram todas civis e estudantes de medicina.

Após a explosão, parentes dos pacientes do hospital se reuniram em frente ao prédio, tentando obter informações.

O presidente Hamid Karzai condenou o ataque, dizendo que os autores foram tão "covardes e violentos que, em contradição a todos os princípios humanos e islâmicos, atacaram até mesmo pacientes de um hospital e médicos".

No mês passado o Talebã anunciou o começo de uma ofensiva contra forças afegãs e estrangeiras, um anúncio feito logo após um atentado suicida contra o Ministério da Defesa.

A Otan diz que está obtendo progressos contra os insurgentes, mas o Talebã ainda consegue atacar alvos do governo mesmo em locais bem guardados, afirma o repórter da BBC Quentin Somerville.

O Charsad Bestar tem 400 leitos e foi construído na década de 1970. O hospital tratava soldados feridos durante a ocupação soviética do Afeganistão, feridos durante a guerra civil que se seguiu no país e, mais recentemente, líderes seniores do Talebã e da Al-Qaeda.

Após a queda do Talebã, países ocidentais investiram milhões de dólares no hospital, melhorando suas instalações e comprando equipamento de última geração, além de equipar o local com ambulâncias.

Notícias relacionadas