IPCA desacelera em maio, mas acumulado dos 12 meses ultrapassa meta

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ficou em 0,47% em maio, caindo 0,3 ponto percentual em relação a abril (0,77%). No entanto, o acumulado dos últimos 12 meses (6,55%) ultrapassa a margem de dois pontos acima do centro da meta anual do governo, que é de 4,5%.

Segundo o IBGE, o índice foi de 6,51% nos 12 meses imediatamente anteriores. Já o acumulado do IPCA em 2011 está em 3,71%, alta de 0,62 ponto percentual na comparação com o mesmo período de 2010 (3,09%).

A taxa de maio ficou 0,04 ponto percentual acima do mesmo mês em 2010, quando a inflação foi de 0,43%.

O grupo de maior impacto no IPCA de maio foi alimentação e bebidas, que respondeu por 0,15 ponto percentual do índice mensal.

Já a maior alta no mês passado foi do grupo vestuário, que subiu 1,19%. A única queda em maio ocorreu em transportes (-0,24%).

Dentre os índices regionais em maio, o maior foi o de Belo Horizonte (0,7%), devido a taxas de água e esgoto e de energia elétrica. Já o menor índice foi o de Brasília (0,02%), onde os combustíveis tiveram queda de 3,35%.

No acumulado dos últimos 12 meses, Curitiba apresenta a maior variação do IPCA (8,29%), seguida de Goiânia (7,29%). As menores altas de preços nos últimos 12 meses foram registradas em Salvador (5,43%) e Recife (5,67%).