Deputado americano diz que vai procurar ajuda médica após escândalo sexual

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Weiner reconheceu ter enviado fotos obscenas pelo Twitter

Envolvido em um escândalo sexual, o deputado americano Anthony Weiner disse neste sábado que deve tirar uma licença médica para se tratar.

Ele admitiu ter enviados fotos suas obscenas para mulheres com quem ele mantinha um relacionamento online “inapropriado”.

Considerado uma estrela em ascensão do Partido Democrata, Weiner era cotado para ser candidato à prefeitura de Nova York.

Após sua admissão, até mesmo seus colegas de partido vêm o pressionando para que renuncie ao cargo. No início da semana, ele disse não deixaria o posto por causa do escândalo.

No comunicado, Weiner não especificou que tipo de tratamento iria procurar, disse apenas que será focado em “se tornar um marido melhor e uma pessoa mais saudável”.

A líder dos democratas na Câmara, Nancy Pelosi, disse que o próprio deputado reconheceu que precisa de ajuda.

“Então eu faço um apelo para que ele procure essa ajuda sem as pressões que se tem ao ser um congressista.”

Foto no Twitter

Casado Huma Abedin, que trabalha com secretária de Estado Hillary Clinton, Weiner alegou a princípio que alguém havia hackeado sua conta no Twitter e enviado uma foto sua de cueca.

No entanto, ele acabou admitindo que mantinha casos online, durante uma entrevista coletiva.

Ele disse que há cerca de três anos trocava mensagens e fotos “de natureza explícita” com cerca de seis mulheres, entre elas uma estudante universitária.

Notícias relacionadas