Vice-premiê diz que Reino Unido quer ‘relação do século 19’ com Brasil

Nick Clegg Direito de imagem Reuters
Image caption No Morro dos Prazeres, Clegg elogiou a coragem do governo na instalação das UPPs

Em visita ao Rio de Janeiro nesta quarta-feira, o vice-primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Nick Clegg, disse que as relações de seu país com o Brasil não são tão fortes quanto deveriam e que quer “voltar ao século 19” para recuperar as bases de uma relação mais sólida.

“Tínhamos uma relação política e econômica muito forte no século 19 e depois isso esmaeceu um pouco. Quero olhar um pouco para trás para construir uma parceria forte para o século 21”, disse à imprensa enquanto visitava o Morro dos Prazeres, favela em Santa Teresa, no Centro do Rio.

Com uma intensa agenda de eventos ao longo desta quarta-feira, Clegg defendeu o estreitamento das relações em áreas como petróleo, economia verde e inclusão social, e participou do anúncio da construção de uma fábrica da Rolls Royce em Santa Cruz, na zona oeste do Rio.

A empresa britânica, mais conhecida por seus carros de luxo, investirá US$ 60 milhões na construção da fábrica de turbinas geradoras para alimentar a indústria de petróleo, de olho da demanda do pré-sal. A fábrica tem inauguração prevista para o terceiro trimestre de 2012 e poderá fabricar componentes para exportação no futuro.

Na abertura de um evento na sede da Petrobras, de manhã, Clegg defendeu parcerias entre os dois países na exploração do petróleo, elogiou os planos de exploração do pré-sal e disse que os planos de dobrar a produção de barris, apresentados pelo presidente da empresa, Sérgio Gabrielli, vão representar uma mudança na geopolítica mundial.

‘Premier League’ nas UPPs

No Morro dos Prazeres, Clegg foi apresentado a uma Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) pelo secretário estadual de Segurança Pública, José Mariano Beltrame. Ele elogiou o projeto e a "coragem" de Beltrame e demais membros do governo que o conduziram.

"Tem sido um privilégio ver o quão corajoso eles têm sido para fazer algo que muitos achavam impossível, que é tornar essas comunidades seguras, enchê-las de esperança e garantir a sensação real de um potencial futuro", disse.

Nos Prazeres, Clegg e Beltrame assinaram um protocolo de parceria para implantar na favela o Premier Skills, projeto de inclusão social por meio de futebol. Voltado para jovens de áreas carentes, o projeto tem o selo da Premier League – a liga de futebol profissional da Inglaterra, um trunfo para atrair jovens e afastá-los de envolvimento com o crime.

De acordo com Ana Paula Bessa, gerente de projetos do British Council, o Premier Skills já foi implantado em comunidades na China, na Índia e em países africanos, mas no Rio terá um modelo diferente: em vez da parceria para levar futebol para os jovens ser firmada com clubes esportivos, no Rio serão selecionados policiais que tenham formação em educação física para ser tutores.

“O objetivo não é treinar futebol e formar craques. Isso até pode acontecer, mas a meta é dar oportunidades para os jovens e criar uma aproximação com a polícia que está fazendo a pacificação nas comunidades”, diz Bessa.

O projeto deve atender a 300 jovens de 7 a 18 anos do Morro dos Prazeres e depois ser levados a outras duas favelas com UPPs, a serem selecionadas pela Secretaria de Segurança Pública.

Economia “verde”

Ao lado do secretário estadual do Meio Ambiente, Carlos Minc, Clegg participou do lançamento de um convênio de cooperação com o Estado do Rio para promover a economia verde no estado.

De acordo com Minc, o acordo vai disponibilizar 240 mil libras “desde já” para a contratação de um estudo sobre o potencial da economia verde no Rio, estudando áreas como ecoturismo, energias alternativas e a cadeia de construção de edifícios sustentáveis.

“O PIB do Rio está crescendo, temos muita siderurgia e petróleo. Para reduzir as emissões, temos a obrigação de investir pesado em economia verde e aumentar o percentual do PIB verde no PIB do estado”, afirma. “Esse estudo vai dar base para identificarmos as melhores oportunidades de economia de baixo carbono (e mostrar) o que o estado tem que fazer.”

Na terça-feira, durante sua passagem por Brasília, Clegg defendeu que o Conselho de Segurança da ONU seja reformado e que o Brasil ganhe um assento permanente no órgão.

Leia mais na BBC Brasil sobre as declarações de Clegg em Brasília

Ainda nesta quarta-feira, no Rio, ele participou uma conferência sobre o legado e a sustentabilidade dos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos. No evento, autoridades britânicas falaram da experiência que ganharam na preparação dos Jogos de Londres de 2012.

Ele disse que a Olimpíada não deve ser pensada em função do evento em si, e sim das oportunidades que traz. E ressaltou que o Rio, sede dos jogos em 2016, tem uma variedade “estonteante” de eventos esportivos para os próximos anos.

"Vocês realmente serão o palco do planeta durante os próximos anos. Todos os olhos e ouvidos do mundo estarão focados em vocês."

A visita de Clegg tem o objetivo de ampliar a cooperação do Reino Unido com o Brasil em várias áreas e é vista como uma “ofensiva” do governo britânico em países que considera as estrelas das próximas décadas, como delineou o ministro do Exterior britânico, William Hague.

Na comitiva britânica estão ministros das áreas de Esporte, Cultura, Comércio e Educação.

Também vieram ao Brasil representantes de universidades britânicas, já que temas ligados à educação também entraram na agenda do vice-premiê com autoridades brasileiras.

Notícias relacionadas