Irlanda do Norte enfrenta segunda noite de violência sectária

Foto: AP Direito de imagem AP
Image caption Policiais foram atingidos por bombas caseiras e fogos de artifício

A capital da Irlanda do Norte, Belfast, enfrentou uma segunda noite de violência sectária, com centenas de pessoas se enfrentando no limite entre um bairro católico e outro protestante.

Policiais responderam com balas de borracha após serem atingidos por bombas caseiras e fogos de artifício, no que está sendo considerado o pior confronto na região em uma década.

Um fotógrafo foi baleado na perna por um atirador, em um caso que está sendo investigado como tentativa de homicídio. Outros dois homens sofreram queimaduras.

Segundo a polícia, a onda de violência foi organizada pelo grupo paramilitar protestante Ulster Volunteer Force (UVF), que teria atacado uma vizinhança católica.

"Nossa investigação indica que a facção da UVF no leste de Belfast teve alguma influência nisso. Se eles perderam o poder para controlar a situação, eu não sei, mas não há nada que indique que nossa posição tenha mudado", disse o policial Alistair Finlay.

Tiros

A polícia pediu que a mídia fique fora de Belfast "para sua própria segurança".

O fotógrafo ferido trabalha para uma agência de notícias e está hospitalizado em condição estável de saúde.

Outro jornalista que viu a cena disse que eles estavam parados perto de carros da polícia.

"Eu olhei para trás e havia alguém olhando por cima de um muro e ele disparou cinco ou seis vezes. Todos nós corremos", disse ele.

"Aí então um colega meu gritou: 'Levei um tiro, levei um tiro' e eu olhei para trás e a parte de baixo da perna dele, não sei se foi de raspão ou se a bala entrou, mas vi que a calça dele estava manchada, molhada, era claramente sangue."

A parlamentar que representa a região, Naomi Long, disse à BBC que um homem atingido por um tijolo na noite de terça-feira sofreu uma fratura no crânio e descreveu a violência dos últimos dias como algo "muito grave".

"Quando você tem armas de volta nas ruas, fica muito claro que a intenção é tirar vidas. Não há outra razão pela qual as pessoas levariam armas para a rua e eu acho que é a hora de essas pessoas darem um passo atrás e pensarem bem sobre o que elas estão fazendo."

Processo de paz

Dois carros da polícia também foram atingidos por balas, em uma "tentativa clara de assassinar policiais", de acordo com uma declaração da polícia.

Segundo o repórter da BBC Mark Simpson, episódios de violência nas ruas da Irlanda do Norte têm sido relativamente raros desde o Acordo da Sexta-Feira Santa, assinado há 13 anos.

Simpson diz que a área onde ocorreram os confrontos registrou pequenos incidentes entre católicos e protestantes nos últimos meses.

O repórter também destaca a presença da UVF, organização paramilitar pró Grã-Bretanha, que aceitou o processo de paz, mas estaria "ficando desiludida" e começando a "mostrar sua força".

Notícias relacionadas