Cinzas de vulcão voltam a impedir voos na Argentina

Cinzas do Puyehue, em foto de arquivo Direito de imagem AFP
Image caption Agência oficial argentina diz que nuvem vai se deslocar para o Brasil

O vulcão chileno Puyehue voltou a provocar, nesta sexta-feira, o cancelamento de voos nos dois principais aeroportos da Argentina, o internacional de Ezeiza e o Jorge Newbery (Aeroparque).

O vulcão entrou em erupção há quase um mês, em 4 de junho, e havia mais de dez dias não obrigava o fechamento dos aeroportos de Buenos Aires.

O retorno das cinzas do vulcão foi informado no início da tarde desta sexta-feira pela Administração Nacional de Aviação Civil (ANAC) da Argentina, a partir de dados do Serviço de Meteorologia Nacional (SMN).

"A ANAC está monitorando a situação permanentemente", diz o texto, divulgado pela imprensa local.

Segundo a agência noticiosa oficial Telam, foram canceladas 40 aterrissagens e 77 decolagens no Aeroparque. Em Ezeiza, o total de voos cancelados passou de 60, de acordo com a agência.

Nos sites dos dois aeroportos de Buenos Aires, voos das companhias aéreas TAM e GOL apareceram como cancelados. Por exemplo, o voo JJ8018, que sairia de São Paulo às 17h10, e o G3 7658, que decolaria também de São Paulo às 18h15, com destino a Ezeiza.

Voos da GOL saindo de Belo Horizonte às 22h25 e do Rio de Janeiro às 22h50 também foram cancelados, de acordo com confirmação nos sites e da companhia aérea.

No site do aeroporto de Carrasco, de Montevidéu, voos da TAM, da GOL e de outras companhias, como Pluna, Aerolíneas Argentinas e Buquebus, para Porto Alegre, Rio, São Paulo e Assunção, também foram cancelados ao longo desta sexta-feira.

Segundo informações das companhias aéreas em Buenos Aires, os pousos e decolagens nos dois principais aeroportos argentinos deverão voltar a ser realizados a partir das 8h deste sábado.

Seleção de futebol

Já na noite desta sexta, o site do jornal El País, de Montevidéu, informou que o voo da Pluna com os jogadores da seleção de futebol do país estava atrasado devido às cinzas do vulcão, e os atletas aguardavam dentro do avião esperando a autorização para a decolagem para a Argentina, onde participarão da Copa América.

De acordo com previsão do SMN, a nuvem de cinzas deverá deixar o espaço aéreo da capital argentina neste sábado.

A Telam disse, citando o serviço meteorológico argentino, que a nuvem de cinzas "não cobrirá mais o território argentino a partir de meio-dia (de sábado), mas deverá afetar o Uruguai e o sul do Brasil".

Até a noite desta sexta, a FAB (Força Aérea Brasileira) não havia postado em seu site nenhuma nota sobre eventuais efeitos das cinzas no espaço aéreo brasileiro. A BBC Brasil tentou contato por telefone, mas não obteve sucesso.

Notícias relacionadas