Grupo indígena executa seis pessoas na Guatemala

Seis pessoas foram linchadas e mortas por membros de uma comunidade indígena no norte da Guatemala, segundo oficiais.

Serviços de emergência locais disseram que moradores de San Pedro Carcha, na província de Alta Verapaz, levaram cinco homens e uma mulher para uma plantação de milho onde eles foram linchados, vendados e mortos a tiros.

Os moradores da comunidade suspeitavam que as seis pessoas tivessem matado um comerciante local.

Promotores públicos guatemaltecos afirmam que 194 pessoas foram linchadas no país desde 2004, principalmente em áreas onde há pouca presença policial.

O Escritório de Promotores pelos Direitos Humanos da Guatemala diz que os casos de linchamento vem aumentando a cada ano, com um especial crescimento em comunidades indígenas, onde há pouca confiança nas autoridades.

Neste caso, os moradores de San Pedro Carcha localizaram um homem conhecido como "O Palhaço", que eles acreditavam estar por trás no assassinato do comerciante Nicholas Choc, que ocorreu na última quinta-feira.

Eles surraram o suspeito até que ele confessou o crime e revelou os nomes de cinco supostos cúmplices, que também foram apreendidos e assassinados pelos indígenas.

A polícia disse que residentes locais impediram a entrada de policiais na vila, mas permitiram que os serviços de emergência levassem os corpos até o necrotério.

Notícias relacionadas