Chávez diz que vencerá ‘batalha’ contra o câncer

Atualizado em  4 de julho, 2011 - 21:20 (Brasília) 00:20 GMT

'Minha presença aqui não significa que ganhamos a batalha', diz Chávez

Presidente falou a uma multidão em Caracas na nesta segunda-feira.

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Formatos alternativos

O presidente venezuelano, Hugo Chávez, fez na noite desta segunda-feira seu primeiro pronunciamento público desde que voltou à Venezuela e prometeu "vencer essa batalha", em referência ao tumor cancerígeno que lhe forçou a passar por uma cirurgia em Cuba.

Diante de milhares de simpatizantes aglomerados em frente à sacada do palácio presidencial em Caracas, Chávez beijou a bandeira da Venezuela e pediu que "ninguém acredite que minha presença aqui neste 4 de julho significa que ganhamos".

"Tenho certeza de que vocês compreendem perfeitamente as dificuldades desta batalha."

Chávez retornou à Venezuela na madrugada desta segunda-feira, após quase um mês em Cuba, onde foi submetido a tratamento médico.

Ele disse que está começando "a refazer e vencer o mal que se instalou" em seu corpo e agradeceu novamente o ex-líder cubano Fidel Castro, quem lhe deu o diagnóstico de câncer e lhe convenceu a passar por uma cirurgia.

"Os dias que passaram não foram nada fáceis. (...) Mas aqui estou, aqui estamos, prontos para a segunda, a terceira, a quarta e todas as (etapas) que vierem."

"Juro que ganharemos essa batalha", afirmou.

O presidente apareceu na varanda do palácio presidencial em Caracas vestido em um traje militar verde e acompanhado de duas de suas filhas. O discurso teve tom efusivo e durou pouco mais de 30 minutos.

Chávez voltou a prometer que cumprirá o rígido tratamento médico, que requer descanso e boa alimentação. Disse ter "iniciado o retorno" no dia 24 de julho, quando levantou da cama e deixou a Unidade de Terapia Intensiva.

Vários simpatizantes choravam enquanto o presidente relatava detalhes da cirurgia. Aos prantos, a aposentada Clory Moura disse à BBC Brasil que chegou a fazer uma promessa "para que Jesus me trouxesse ele (Chávez) de volta".

Outros disseram que foram pegos de surpresa, na madrugada, com a volta do presidente. "Nunca pulei da cama tão feliz", disse Dalgi Carvajal.

Chávez em aparição na noite desta segunda (AFP)

'Tenho certeza que vocês compreendem as dificuldades dessa batalha', declarou à multidão

Dependência

A ausência de Chávez não somente assustou a sua equipe de governo, como evidenciou ao bloco chavista a necessidade de consolidar as estruturas do poder para além de Chávez.

O ministro de Planificação e Desenvolvimento, Jorge Giordani, admitiu à BBC Brasil que o governo ainda depende fundamentalmente da liderança do presidente.

"Quando toda essa alegria e esperança que estamos vendo se converter em organização e poder popular, essa revolução será irreversível", disse.

O ministro da Defesa, Carlos Mata Figueroa, disse que descarta tentativas de desestabilização, dentro e fora das Forças Armadas. "A lealdade das Forças Armadas com Chávez está mais forte que nunca", disse. "Quem vai se atrever a dar um golpe, vendo a fortaleza desse povo?"

Segundo analistas ouvidos pela BBC Brasil, a volta de Chávez fortalece a ideia de "unidade" em torno de seu governo e dissipa rumores de disputas internas entre os diferentes setores políticos do chavismo.

"Chávez necessita manter a unidade da revolução e só pode fazer isso estando perto das rédeas do poder", afirmou à BBC Brasil Luis Vicente León, analista político da consultoria Datanalisis.

No dia 30 de junho, o presidente venezuelano admitiu que foi submetido a uma cirurgia para retirada de um tumor cancerígeno na região pélvica, mas até agora não se sabe publicamente qual a gravidade da doença.

Chávez terminou seu discurso na noite desta segunda dizendo que participará das comemorações do Bicentenário da Independência do país.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.