Força do real ajuda a reverter exportação de jogadores brasileiros, diz 'FT'

Neymar Direito de imagem AP
Image caption Queda na diferença entre salários ajuda clubes a manter estrelas, diz o 'Financial Times'

A valorização do real está ajudando a conter "um dos principais produtos de exportação do Brasil", a venda de jogadores de futebol para a Europa, segundo afirma reportagem publicada nesta segunda-feira pelo diário econômico britânico Financial Times.

"Jovens estrelas estão jogando por mais tempo no Brasil, antes de migrar para a Europa, enquanto veteranos estão retornando mais cedo, conforme diminui a diferença nos salários com a Europa, atingida pela crise", afirma o texto, publicado na capa do jornal.

A reportagem comenta que os gastos com novos jogadores no Brasil aumentaram 63% em 2010 em relação ao ano anterior, comparado com uma queda de 29% na Europa, segundo o levantamento de uma agência de marketing esportivo.

O jornal observa que o real atingiu recentemente seu valor mais alto em relação ao dólar em 12 anos e se valorizou 35% em relação ao euro e à libra desde 2008, "ajudando clubes de futebol locais a competir contra seus ricos pares europeus na disputa pelos melhores jogadores do mundo".

A reportagem cita a recente oferta de 40 milhões de euros do Corinthians pelo atacante argentino Carlos Tévez, do Manchester City, como um exemplo do aumento do poder de compra dos times brasileiros.

O jornal cita ainda uma lista de jogadores brasileiros, como Ronaldo, Luis Fabiano, Ronaldinho e Fred, que voltaram ao país após jogar na Europa.

A reportagem observa ainda que a situação financeira mais forte dos clubes brasileiros está também ajudando-os a manter seus jovens talentos.

"O Santos, equipe do grande Pelé, rejeitou uma suposta oferta do Chelsea pela estrela adolescente Neymar oferecendo a ele um sofisticado pacote de compensações que incluem uma renda por direitos de imagem", conclui o texto.

Notícias relacionadas