Polícia acredita que ataques na Noruega foram coordenados

Resgate de vítimas do acampamento (Reuters) Direito de imagem Reuters
Image caption Atirador matou ao menos dez jovens em um acampamento em uma ilha norueguesa nesta sexta

A Noruega sofreu dois ataques aparentemente coordenados nesta sexta-feira, com um saldo de ao menos 17 mortos.

A polícia confirmou que ao menos dez pessoas morreram em um acampamento em uma ilha próxima de Oslo, quando um homem vestido de policial abriu fogo contra os participantes de um encontro de jovens do Partido Trabalhista.

A imprensa norueguesa, porém, afirma que o número de mortos na ilha pode chegar a 30.

Pouco antes, um atentado a bomba atingiu vários prédios governamentais em Oslo, deixando pelo menos sete mortos e 15 feridos.

Um homem suspeito de ser o autor do ataque ao acampamento na ilha de Utoeya foi preso pela polícia. Acredita-se que ele tenha relação com a bomba colocada no centro de Oslo.

“Temos muitos motivos para acreditar que o tiroteio está conectado com a explosão em Oslo”, disse à rede de notícias NRK Bjorn Erik Sem-Jacobsen, porta-voz da polícia.

Um comandante da polícia disse também que o atirador foi visto em Oslo antes da explosão desta sexta.

Acampamento de verão

O representante do Partido Trabalhista norueguês, Bjorn Jarle Roberg-Larsen, disse à BBC que cerca de 600 jovens, entre 13 e 20 e poucos anos, participavam do acampamento de verão.

Mais de 20 ambulâncias e quatro helicópteros foram despachados para o resgate dos jovens. Imagens da TV norueguesa mostram corpos de supostas vítimas do ataque.

Segundo a agência France Presse, o primeiro-ministro, Jens Stoltenberg, deveria comparecer ao encontro.

A polícia suspeita que haja explosivos na ilha e agora vasculha a área, de acordo com o site de notícias VG Net.

Uma testemunha citada no site da rádio pública NRK disse que “um homem com uniforme da polícia atraiu os jovens gritando ‘venham aqui’, executando-as em seguida”.

Segundo a testemunha, o autor dos ataques usava armas de fogo e bombas.

Explosão

Mais cedo, um ataque à bomba causou grandes estragos na sede do governo norueguês. Por meio de um comunicado, a polícia disse que a explosão foi causada por pelo menos uma bomba, mas não estava claro quem foram os autores do ataque.

"Os prédios do governo e seus ministérios sofreram grandes danos. Grande parte do centro da cidade foi evacuado. A polícia pede para que a população fique em casa e limite o uso de telefones celulares", diz a nota.

Direito de imagem AFP
Image caption Acampamento promovido pelo Partido Trabalhista reunia cerca de 600 jovens

Na entrevista ao canal TV2, o primeiro-ministro Stoltenberg disse que a situação "é muito grave" e afirmou que a polícia o aconselhou a não revelar onde está.

Imagens de televisão mostravam vidros e escombros nas ruas e fumaça saindo de alguns prédios. Testemunhas disseram "sentir cheiro de enxofre".

A explosão em Oslo destruiu várias janelas do prédio de 17 andares onde estão instalações do governo, lançando destroços a uma distância de 400 metros.

Feridos

Direito de imagem Reuters
Image caption Ataque a bomba atingiu prédios do governo em Oslo

O ministro de governo Hans Kristian Amundsen disse à BBC que ainda pode haver feridos sob os destroços e não quis apontar possíveis causas do ataque.

"É impossível para nós especular em qualquer direção. Temos que focar nas operações de resgate. Ainda há pessoas nos prédios, há pessoas nos hospitais", disse o ministro.

"Sabemos que essa situação é mais séria do que a maioria das que já tivemos na Noruega."

O jornalista da NRK Ingunn Andersen disse que as instalações do maior tabloide norueguês, o VG, também foram atingidas.

"Vi que vidraças dos prédios do VG e do governo foram quebradas. Algumas pessoas ensanguentadas estão nas ruas. Está um caos completo por aqui", disse Andersen, segundo a agência de notícias Associated Press.

Notícias relacionadas